You are here

Marisa Matias: “A construção naval não pode morrer em Portugal”

“O governo decidiu aplicar a uma das poucas empresas públicas que restam em Portugal [ENVC - estaleiros de Viana] a mesma receita que está a aplicar ao país”, denunciou Marisa Matias, esta segunda-feira no plenário do Parlamento Europeu em Estrasburgo.
Existem “claras evidências de gestão danosa e em vez de se encontrarmos os verdadeiros culpados castigam-se os trabalhadores e as suas famílias e a entrega-se mais uma vez ao desbarato o património que é de todos nós”, destacou Marisa Matias sobre os Estaleiros de Viana do Castelo

O ministro que tutela os Estaleiros de Viana do Castelo desculpou-se com uma exigência de 180 milhões de euros de Bruxelas para liquidar a empresa, mas de Bruxelas não há uma palavra sobre o assunto. “Era importante que houvesse”, alegou a eurodeputada Marisa Matias, “para perceber se o que ministro disse é verdade ou se usa Bruxelas como desculpa”.

O desmantelamento dos Estaleiros de Viana do Castelo esteve segunda-feira no plenário do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, pela voz da eurodeputada do Bloco de Esquerda integrada no GUE/NGL. “O governo decidiu aplicar a uma das poucas empresas públicas que restam em Portugal a mesma receita que está a aplicar ao país”, denunciou Marisa Matias. “Não conhecemos as regras nem as intenções deste negócio”, acrescentou. Existem “claras evidências de gestão danosa e em vez de se encontrarmos os verdadeiros culpados castigam-se os trabalhadores e as suas famílias e a entrega-se mais uma vez ao desbarato o património que é de todos nós”.

“A construção naval não pode morrer em Portugal”, defendeu Marisa Matias, “e mais uma vez o governo está a lutar contra os interesses do país”.

Artigo publicado pelo portal do Bloco de Esquerda no Parlamento Europeu

ENVC: A construção naval não pode morrer! - Marisa Matias 2013/12/09

Termos relacionados Política
(...)