You are here

Filha do Presidente de Angola é a primeira bilionária africana

Isabel dos Santos é a primeira bilionária africana, segundo a Forbes, que assinala a participação da filha de Eduardo dos Santos na Zon e no BPI, em Portugal, e no BIC e na Unitel, em Angola. Isabel dos Santos detém ainda 45% da Amorim Energia e, através dela, 6% da GALP.
“Não há nenhum mistério por detrás do enriquecimento do clã Dos Santos e seus cortesãos”

Segundo a revista norte-americana Forbes, citada pelo jornal “Público”, as ações de empresas cotadas em Portugal, juntamente com ativos em Angola, “elevaram o valor líquido [da fortuna de Isabel dos Santos] acima da fasquia de mil milhões de dólares, fazendo da empresária de 40 anos a primeira mulher bilionária africana”.

A revista estima em 385 milhões de dólares a participação de 28,8% que Isabel dos Santos detém na Zon e em 465 milhões os 19,5% que detém no BPI. Calcula ainda em 160 milhões de dólares a sua participação no BIC de Angola e sobre os 25% da operadora de telemóveis Unitel de Angola refere que valem “no mínimo, mil milhões de dólares”, de acordo com analistas de telecomunicações.

É ainda de assinalar que Isabel dos Santos detém 45% da holding de Américo Amorim e, através dela, 6% da GALP.

Peter Lewis, professor de Estudos Africanos da Universidade Johns Hopkins disse à Forbes que, em Angola, “é claro através do trabalho documentado que o partido no poder e círculo íntimo do presidente têm um monte de interesses comerciais”, salientando que “a fonte de recursos e a governança corporativa são muito obscuras”, sublinhando que “o problema central em Angola é a completa falta de transparência”, pois não se pode “traçar a proveniência dos fundos”.

O site angolano circuloangolanointelectual.com lembra que Isabel dos Santos “é filha do Presidente”, destacando “o que, em Angola, como noutros países … não é de desprezar pois é a chave do sucesso”.

Já o site makaangola.org refere que “não há nenhum mistério por detrás do enriquecimento do clã Dos Santos e seus cortesãos”, afirmando que o artigo 11 do “Projeto de Lei do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2013, aprovado há dias na generalidade pela Assembleia Nacional”, “explica, em parte, como o presidente angolano e os seus fazem fortunas sem suar as estopinhas e muito menos sobrecarregar os neurónios”.

De acordo com o site makaangola.org, o projeto de lei do OGE estabelece “um regime especial de gestão ao livre arbítrio do Presidente dos Santos”, para a rubrica despesas e fundos especiais, dizendo o referido artigo 11 o seguinte: “Ficam sujeitos a um regime especial e de cobertura, execução e prestação de contas, as despesas especiais, afectas aos órgãos de soberania e serviços públicos que realizam as funções de segurança interna e externa do Estado, integrados no Sistema Nacional de Segurança, em termos que assegure o carácter reservado ou secreto destas funções e o interesse público, com eficácia, prontidão e eficiência”.

Comentários (1)

Neste dossier:

Angola, a ditadura que o mundo finge não ver

Em Angola, a polícia reprime até o funeral de um ativista morto quando colava cartazes. Uma oligarquia riquíssima, encastelada em torno do presidente, prospera diante da miséria do povo. José Eduardo dos Santos está no poder há 34 anos sem nunca ter sido eleito nominalmente para o cargo. Mas o mundo desvia o olhar. Dossier coordenado por Luis Leiria.

Perfil: José Eduardo dos Santos, o déspota discreto

Chegou ao poder porque era, dos presidenciáveis, o mais fraco. Nos primeiros anos, não “mexeu uma palha”. Mas demonstrou a capacidade de adaptação suficiente para sobreviver à queda do Muro de Berlim, abraçar o capitalismo mais selvagem e ainda enriquecer-se e à sua família.

Presidência da República: O Epicentro da Corrupção em Angola

O presente relatório revela o modo como a Presidência da República de Angola tem sido usada como um cartel de negócios obscuros e as consequências dessa prática para a liberdade e o desenvolvimento dos cidadãos assim como para a estabilidade política e económica do país. Por Rafael Marques.

O Príncipe Perfeito

Ver dirigentes políticos portugueses, de vários quadrantes ideológicos, a defenderem certas posições do regime angolano com a veemência de jovens aspirantes ao Comité Central do MPLA seria apenas ridículo, não fosse trágico. Por José Eduardo Agualusa

Do presidente para a sua família: a vala de drenagem

O Presidente da República converteu o OGE no principal, mas não único, instrumento do seu enriquecimento ilícito. Pelo seu artigo 11, basta-lhe invocar a segurança interna ou externa do país para criar quantos fundos quiser, quantas empresas lhe apetecer para acomodar familiares, cortesãos e a cada vez mais extensa lista de bajuladores. Por Alfredo Muvuma, Maka Angola.

Filha do Presidente de Angola é a primeira bilionária africana

Isabel dos Santos é a primeira bilionária africana, segundo a Forbes, que assinala a participação da filha de Eduardo dos Santos na Zon e no BPI, em Portugal, e no BIC e na Unitel, em Angola. Isabel dos Santos detém ainda 45% da Amorim Energia e, através dela, 6% da GALP.

Fundo Soberano de Angola – O Logotipo de 5.000 milhões de dólares

Como 5 mil milhões de dólares de fundos públicos angolanos acabaram sob gestão de um simples logotipo, cujos cordelinhos são movimentados a partir da Suíça pelos amigos do filho do Presidente? Alguns desses amigos foram recentemente condenados por gestão criminosa. Artigo publicado em Maka Angola.

PCP, PS e Verdes votaram contra condenação dos assassinatos em Angola

Leia as declarações de voto do PCP, dos Verdes e do PS que chumbaram, junto com o PSD e o CDS, um voto apresentado pelo Bloco de Esquerda de condenação dos assassinatos de Alves Kamulingue, Isaías Cassule e Manuel Ganga e pela libertação de todos os presos políticos no país.

O PCP e Angola

Angola corre o risco de ser invadida militarmente pelos EUA? Quem se manifesta pelos direitos humanos pretende desestabilizar as instituições e dividir o país? O PCP acha que sim.