You are here

Maria Luísa Cabral

Bibliotecária aposentada. Activista do Bloco de Esquerda. Escreve com a grafia anterior ao acordo ortográfico de 1990

Artigos do Autor(a)

2015/09/02 - 10:07am

Os Reformados e Pensionistas são aqueles que cumpriram uma carreira contributiva e que, sem margem para dúvidas ou hesitações, ganharam o direito a uma retribuição para a velhice, retribuição que foi contratualizada e que agora, miseravelmente, lhes está a ser roubada.

2015/08/14 - 4:05pm

Alterar a TSU equivale a pisar de novo a linha vermelha, a carregar mais sobre os mesmos. A recusa intransigente desta proposta de alteração coloca-nos em campo oposto.

2015/08/03 - 12:09am

Quando já não tínhamos dúvidas nenhumas sobre a crueldade dos programas que apadrinharam, PSD e CDS chegaram agora ao clímax ao apresentarem propostas para os próximos quatro anos.

2015/07/17 - 11:39am

Os aposentados e pensionistas têm sido zurzidos de forma inimaginável apenas há três anos. Pelo seu trabalho, cada um de nós confiou na retribuição contratualizada, devida e proporcional. Ao não honrar este compromisso, o governo deixou de ser pessoa de bem.

2015/06/18 - 3:28pm

Esta pergunta-resposta do Primeiro-Ministro deixa-nos estupefactos. Não pelo tom coloquial mas pela perfídia. A pergunta, Sr. Primeiro-Ministro, deveria ser outra: se a justiça for reposta, o mercado ganha com isso enquanto a pobreza recua alguma coisa, não é?

2015/05/21 - 10:00pm

O calendário diz que chegou o tempo de definir um caderno de reivindicações muito concretas para executar no curto prazo. Para os pensionistas e reformados a justiça é agora porque amanhã pode ser tarde demais.

2015/04/30 - 12:17am

Costa prometeu uma coisa e assina outra. De novo, pensionistas e reformados sob fogo cerrado. Não há diferença essencial com as propostas do atual governo.

2015/04/05 - 12:49pm

Sob o título Pensões mais altas só com mais dívida publicou o Expresso a 28 de Março um texto assinado por Carlos Pereira da Silva e Jorge Bravo sobre o qual não ficarei bem comigo própria se não registar o que penso.

2013/11/01 - 12:10am

Quando jovens, fomos futuro; agora que temos menos força continuamos a acreditar que o futuro pode ser justo e os jovens merecem que lhes passemos o testemunho.

Pages