You are here

Porto: José Soeiro defende requalificação do Mercado do Bolhão

O candidato à câmara do Porto alerta para a necessidade do mercado do Bolhão, salientando que “esse é um compromisso bem claro da candidatura ['E se virássemos o Porto ao contrário']”, bem como “impedir negócios que envolvam a concessão do espaço a privados”.

A candidatura E se virássemos o Porto ao contrário visitou neste sábado o mercado do Bolhão.

Em declarações à comunicação social, José Soeiro afirmou: “Quando se trata dos grandes negócios, como do negócio do Aleixo ou o negócio que havia para o mercado do Bolhão, todas as outras candidaturas fingem não saber do que se trata, não se querem comprometer. Não querem assumir um compromisso claro. Nós dizemos que é preciso assumir compromissos claros”.

O candidato defendeu que é preciso “virar a economia ao contrário, de forma a que seja possível responder à crise social”, e frisou a necessidade de “assumir um compromisso de um Porto que traga mais democracia à cidade”.

Para José Soeiro, “o que aconteceu no Aleixo é uma vergonha e tem de ser parado. A concessão a uma empresa comercial do Teatro Rivoli é uma vergonha e o Teatro tem de ser devolvido. O que foi feito aqui no Bolhão com a tentativa de concessionar a privados é uma vergonha e tem de parar”.

José Soeiro considera que “a cidade do Porto precisa de uma esquerda com mais força, com mais voz” e declara: “Esta candidatura assume compromissos claros e é com esses compromissos que nos dirigimos à cidade. As pessoas reconhecem isso e têm-nos dado essa força da energia nova que esta candidatura traz, da diversidade, da juventude, da experiência”.

Francisco Louçã, que participou nesta ação de campanha, disse que “o Bloco está em boa posição para começar, nas autarquias, a ter um peso político que o ajude a fazer a luta por um governo de esquerda e a lutar contra a austeridade”.

“Acho que foi muito corajoso da parte do Bloco e do José Soeiro ter um jovem candidato muito bem preparado, muito conhecedor, muito mobilizador das forças culturais e políticas. E que teve até um entendimento de como a campanha se constrói de baixo para cima, a partir de grandes respostas ao populismo agressivo de Menezes, ao elitismo de Rui Moreira, e à desistência que outras esquerdas fizeram, para trazer uma resposta direta de combate numa das cidades mais atingidas pela crise social”, frisou ainda Francisco Louçã.

Nesta terça-feira, às 21.30h no Rivoli, a candidatura "E se virássemos o Porto ao contrário" promove "Uma noite Rivolivre".

Termos relacionados Autárquicas 2013, Política
(...)