You are here

NSA espiou os presidentes do Brasil e do México

Segundo documentos vindos a público a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos, NSA, espiou a Presidente do Brasil Dilma Rousseff e o atual Presidente mexicano Peña Neto. Jornalista do The Guardian diz que o objetivo principal é “obter vantagens injustas sobre outras nações para as suas indústrias e comércio em acordos económicos".
Peña Neto e Dilma Rousseff

Documentos secretos, que fazem parte de uma apresentação interna da NSA (Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos da América), revelados por Snowden, demonstram que a Presidente brasileira Dilma Rousseff e o Presidente mexicano Piena Neto, foram alvos de espionagem.

Glenn Greenwald, jornalista do The Guardian, recebeu os documentos diretamente de Snowden, em Hong Kong.

Os documentos provam que as comunicações de Dilma com os seus principais assessores foram interceptadas, bem como a comunicação entre os próprios assessores.

A apresentação da agência de espionagem, agora tonada pública, chama-se “filtragem inteligente de dados: estudo do caso México e Brasil". Segundo a apresentação, este programa permite encontrar, a qualquer altura, uma “agulha no palheiro”.

O palheiro, neste caso, é um volume enorme de dados a que a espionagem norte-americana tem acesso diário, recorrendo à espionagem telefónica, internet, servidores de email e redes sociais.

Neste documento de junho de 2012, são claros os alvos: o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, na altura candidato, e Dilma Rousseff.

Como funciona a espionagem?

Quando o alvo é selecionado, são monitorizados os números de telefone, os emails e o IP.

Para espiar o atual Presidente do México, os serviços secretos americanos recorreram a uma ação intensiva. Usaram dois programas, um deles dá-se pelo nome de “Mainway” que serve para recolher grandes volumes de informação que passam pelas redes de comunicação.

As SMS do candidato também foram interceptadas, através do programa “Association”, que é utilizado para as redes sociais. Depois, as mensagem seguem para um filtro, o “Dishfire”, que procura por palavras-chave.

Na recolha de dados da NSA, sob o título de “mensagens interessantes”, encontra-se informação sobre os ministros que Peña Nieto pensa nomear após a sua vitória, que só tomariam posse seis meses depois do ato eleitoral.

No caso brasileiro, o objetivo da operação era “compreender melhor os métodos de comunicação e dos interlocutores da Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e os seus principais assessores”.

Segundo Glenn Greenwald "a tática do governo americano desde o 11 de setembro é dizer que tudo se justifica pelo terrorismo, assustando o povo para que aceite estas medidas como necessárias. Mas a maior parte da espionagem que eles fazem não tem nada a ver com segurança nacional, é para obter vantagens injustas sobre outras nações para as suas indústrias e comércio em acordos económicos".

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)