You are here

“Cada dia que estes irresponsáveis se mantêm no Governo é mais um dia perigoso”

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, acusou, no decorrer da apresentação da candidatura a Loures, a maioria PSD/CDS de ser irresponsável e instável e considerou que as mudanças anunciadas no Governo apenas servem para calar os portugueses.
Foto de Paulete Matos

“Cada dia que estes irresponsáveis se mantêm no Governo é mais um dia perigoso. São instáveis e não têm programa”, afirmou a líder bloquista durante a sessão de apresentação de Jorge Costa, como candidato à Câmara de Loures.

Catarina Martins comentava desta forma o anúncio do acordo político de coligação feito no sábado pelo primeiro-ministro, Passos Coelho, que passa pela escolha de Paulo Portas, que se demitiu de ministro dos Negócios Estrangeiros na terça-feira, para vice-ministro.

 “Mais grave do que os amuos da coligação é o falhanço do plano de ajustamento. Neste momento não há Governo para Portugal. Não há respostas para o país”, frisou.

Catarina Martins comentou também as afirmações da diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, que admitiu hoje terem sido cometidos erros pelo organismo na avaliação sobre a situação de alguns países.

“Estes mea culpa são sempre cínicos como os protagonistas do nosso Governo”, afirmou.

Loures: “Sempre que abre o tribunal há mais três famílias que ficam sem a sua casa”

“Hoje na comarca de Loures, sempre que abre o tribunal há mais três famílias que ficam sem a sua casa” “é inaceitável que a autarquia – dirigida pelo Partido Socialista - se mantenha silenciosa, cúmplice deste silêncio, em torno das famílias que perdem as suas casas” “por não conseguirem fazer face ao compromisso que fizeram perante a banca”, defendeu Jorge Costa.

“É preciso dar resposta, que o Bloco há muito vem dando nesta autarquia, desenvolver políticas de reabilitação urbana, de arrendamento social, que deem a possibilidade às famílias, que estão a passar pelas maiores das dificuldades, de terem acesso a uma casa que possam pagar”, defendeu.

“Esta urgência é uma das respostas que o Bloco vai dar como prioritária”, garantiu.  

Em relação aos transportes públicos rodoviários, o dirigente e candidato bloquista definiu-os como sendo “caros, poucos e maus”. Nesse sentido, defendeu a melhoria das condições de acesso e de mobilidade para os cidadãos do concelho, que passa pela extensão do Metro a Loures, que definiu como ”a batalha das batalhas” do próximo executivo.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
Comentários (1)