You are here

Manifestação de 1 de junho soma apoios e une 12 países europeus

Espanha, Portugal, Suíça, Croácia, Irlanda, Grécia, Itália, Holanda, França, Alemanha, Inglaterra e Áustria já fazem parte da lista de países europeus que aderiram ao protesto convocado pelo movimento Que se Lixe a Troika. É cada vez maior o número de personalidades e organizações que apoiam publicamente este protesto.

Esta quinta feira, o movimento “Que se Lixe a Troika” promoveu uma conferência de imprensa em frente à sede do FMI, em Lisboa, onde se se fez o balanço da mobilização europeia para a manifestação internacional que terá lugar no próximo sábado, dia 1 de junho, sob o lema: “Povos Unidos Contra a Troika”.

Em comunicado, o movimento afirmou que “depois da conferência de imprensa em Lisboa, no passado dia 26 de abril, já se juntaram ao protesto mais de 100 localidades em 12 países da Europa (Portugal, Espanha, França, Itália, Grécia, Croácia, Suíça, Áustria, Alemanha, Reino Unido, Irlanda e Holanda)”. “Os povos da Europa responderam ao apelo lançando convocatórias contra a austeridade nos seus países”, salientou.

O “Que se Lixe a Troika” reforçou ainda o apelo “a todos os cidadãos e cidadãs, com e sem partido, com e sem emprego, com e sem esperança” e a “a todas as organizações políticas, movimentos cívicos, sindicatos, partidos, coletividades, grupos informais” para que se juntem ao protesto.

Segundo o ativista Nuno Ramos de Almeida, a participação da Alemanha, Áustria e Suíça é um sinal de que, mesmo que os países do sul tenham sido “os primeiros a levar uma machadada”, há a perceção de que as atuais políticas, que representam “a destruição do modelo social europeu ”, acabarão por chegar aos países do centro.

Às mais de cem convocatórias a nível europeu, dezoito das quais dizem respeito a cidades portuguesas, juntam-se ainda as vozes de personalidades como Ken Loach, Noam Chomsky, Susan George, Pilar del Rio e Boaventura Sousa Santos, que já apoiaram publicamente esta manifestação.

Associação José Afonso apela a participação na manifestação de 1 de junho

Na quinta feira, a Associação José Afonso (AJA) anunciou o seu apoio à Manifestação do próximo dia 1 de junho. Num comunicado assinado por Francisco Fanhais, a AJA relembra o alerta lançado em 1985 por José Afonso numa entrevista a Viriato Teles:

“O que é preciso é criar desassossego. Quando começamos a procurar álibis para justificar o nosso conformismo, então está tudo lixado! Acima de tudo, é preciso agitar, não ficar parado, ter coragem, quer se trate de música ou de política. E nós, neste país, somos tão pouco corajosos que, qualquer dia, estamos reconduzidos à condição de homenzinhos e mulherzinhas. Temos é que ser gente, pá!”

Segundo a AJA, “hoje, em 2013, no país de uma coisa chamada “troika” continua, infelizmente, a haver lugar para se cantar os 'Vampiros'.

“Juntos seremos muitos, juntos seremos alguém!”, remata a Associação.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)