You are here

José Manuel Pureza

Professor Universitário. Dirigente do Bloco de Esquerda

Artigos do Autor(a)

2022/06/26 - 11:27am

Os problemas estão mais que diagnosticados. Défice imenso de profissionais com vínculo estável ao SNS, com carreiras paralisadas ou desrespeitadas, tudo a convidá-los e aos doentes a irem para um setor privado agressivo, ficando o SNS como retaguarda para o que é difícil e para os pobres.

2022/06/25 - 7:03pm

Graças à invasão da Ucrânia e da guerra subsequente, a organização a que, há poucos meses, fora diagnosticada morte cerebral ganha um elan totalmente imprevisto e um espaço de radicalização do seu conceito estratégico que a cimeira de Madrid consagrará sem rebuço e sem reservas. Por José Manuel Pureza.

2022/05/31 - 10:34am

As iniciativas dos partidos proponentes da despenalização, já entregues ou anunciadas, mostram que a Assembleia da República manterá o registo de responsabilidade e de tolerância que imprimiu a todo o processo anterior. Por José Manuel Pureza, dirigente do Bloco de Esquerda.

2022/05/30 - 11:07am

A simples sugestão de um diálogo entre marxistas e cristãos causa estranheza, desconforto e até raiva no senso comum. Estranheza e desconforto que estão ausentes quando se encara o diálogo – ou mesmo a justaposição – entre o ser-se cristão e o ser-se liberal, conservador ou nacionalista.

2022/05/02 - 11:40am

Clareza na condenação da invasão e da guerra, na defesa da autodeterminação, na exigência da extinção dos blocos militares, no empenho numa solução negociada que respeite o Direito Internacional e traga a paz de volta.

2022/04/23 - 6:58pm

A verdade é que o partido liberal foi tendo vários nomes e tem a idade da contrarrevolução em Portugal. Insinuou-se no repúdio da Constituição da República com a invocação de que ela enfermava de “uma excessiva carga ideológica”.

2022/04/03 - 10:02am

Antitéticos na sua formulação e nos seus fundamentos, o discurso liberal e o discurso realista convergem, porém, no essencial: são ambos instrumentais de lógicas imperialistas. Ambos são discursos de justificação da guerra.

2022/03/30 - 11:26am

Desengane-se quem acha que isto é um problema de Espanha. Não é. Todas vozes que, em todo o mundo, se têm levantado a favor da indiscutibilidade do direito à autodeterminação estão confrontadas com uma exigência de coerência. O Governo português também, portanto.

2022/03/15 - 2:12pm

Sobre esta guerra, o que abunda é um conhecimento que explica mas não muda, que justifica mas não propõe, que se põe a adivinhar mas não antecipa. O mundo precisa com urgência de outros discursos para outras práticas que derrotem a política da guerra.

2022/03/02 - 9:43am

A estratégia de substituir os factos pela propaganda é uma conhecida arma de guerra. Mas não nos enganemos: partir do princípio de que tudo se resume a propaganda e que só nos estão a contar uma história muito mal contada é um exercício de auto-engano que nos isola da realidade.

Pages