You are here

Bloco vai levar ao Governo propostas "fora dos limites do memorando"

Em resposta à carta do Governo para um encontro sobre a estatégia para o crescimento, Catarina Martins e João Semedo dizem estar prontos para levar a Passos Coelho algumas das propostas que apresentarão no debate do Orçamento Retificativo. E avisam que "não há crescimento na austeridade".
Foto Paulete Matos.

Os coordenadores do Bloco registam que "as propostas da oposição têm sido sistematicamente chumbadas pela maioria PSD/CDS no Parlamento" e que os dois partidos do Governo, "nestes quase dois anos de governação, não mostraram nunca vontade de dialogar com ninguém". Ainda assim, aceitam o pedido de encontro solicitado pelo ministro-adjunto Poiares Maduro e sugerem que o mesmo seja marcado já na próxima semana.

"O Bloco de Esquerda não deixará, contudo, de apresentar propostas que extravasam os limites do memorando da troika, ao contrário do que o governo sugere" no seu convite para uma reunião sobre a "Estratégia para o Crescimento, Emprego e Fomento Industrial 2013-2020". "Não aceitamos um debate político coartado, como não aceitamos uma soberania limitada", avisam os coordenadores do Bloco.

"O crescimento não é possível dentro do quadro do memorando da troika", escrevem Catarina Martins e João Semedo na resposta ao Governo, acrescentando que "sem a renegociação da dívida e a recusa dos condicionalismos de política económica impostos pela troika, não será possível ao nosso país a aplicação de medidas consequentes para o crescimento económico e a criação de emprego".

Os coordenadores bloquistas recordam ainda que o Bloco de Esquerda tem apresentado propostas para o crescimento económico e que "voltará a fazê-lo no próximo orçamento retificativo", na certeza de que "apenas o crescimento pode criar emprego, consolidar as contas públicas e travar o caminho da bancarrota".

Termos relacionados Política
(...)