You are here

Memorando de Álvaro tem "fraca credibilidade"

O ministro da Economia promete agora criar condições "para que tudo o que está parado há 12 meses possa avançar" com financiamento da Caixa. Para a deputada bloquista Cecília Honório, o Governo "perdeu um ano" e a ideia tem "fraca credibilidade".
Foto Miguel A. Lopes/Lusa

"Há dois anos que o Governo utiliza a sua bíblia que é o memorando da `troika´ que levou o país ao desemprego e à recessão. Vem hoje falar de um memorando para o crescimento e esta ideia tem fraca credibilidade com o quadro que conhecemos", afirmou a deputada em declarações aos jornalistas.

No final da reunião do Conselho de Ministros, Álvaro Santos Pereira disse que vai apresentar uma "carta de missão" à administração da Caixa Geral e Depósitos para garantir financiamento às Pequenas e Médias Empresas no valor de 1000 milhões de euros em 2013 e 2500 milhões no próximo ano.

Para o Bloco de Esquerda, esta medida vem com muito tempo de atraso. "Notamos um aspeto relevante que é o reforço da CGD, dissemos durante muito tempo que não era preciso nenhum banco de fomento, que bastava reforçar dignamente a CGD para que ela desempenhasse o seu papel ao serviço da economia e ao serviço das pequenas e médias empresas", afirmou Cecília Honório, acrescentando que esta carta de missão "não é suficiente".

"Há mais de um ano que o Bloco defende que o reforço da CGD é determinante para o desenvolvimento da economia", disse Cecília Honório, criticando o Governo por "perder um ano com os ziguezagues do ministro da Economia".

"Um Governo que continua a destruir o emprego e a atacar os salários não é um governo que nos possa apresentar nenhum memorando para o crescimento da economia", concluiu a deputada do Bloco.

Termos relacionados Política
(...)