You are here

Helena Pinto

Dirigente do Bloco de Esquerda. Vereadora da Câmara de Torres Novas. Animadora social.

Artigos do Autor(a)

2014/02/05 - 7:54pm

É tempo de abolirmos o amianto da vida da população portuguesa.

2013/05/09 - 12:07am

É tempo de Portugal voltar a dar um exemplo nas políticas de combate à toxicodependência. Por isso, apresentamos este Projeto-Lei, para legalizar o cultivo da canábis para consumo pessoal e criar o enquadramento legal que possibilite a criação de “Clubes Sociais de Canábis”.

2013/01/31 - 3:54pm

O Novo Regime do Arrendamento Urbano é bem o exemplo da desproporção, da iniquidade, da discriminação, mas também da crueldade dirigida a um sector muito concreto da população – os mais idosos.

2012/03/11 - 12:16am

O Ministro Mota Soares apresentou mais uma medida de apoio aos idosos: mudanças na lei vão permitir que os lares criem dez mil novas vagas. Já conhecíamos esta tática: onde antes cabiam três passam a caber cinco e onde cabia um, cabem dois.

2012/02/26 - 12:04am

Perante a hecatombe provocada pelas estatísticas o governo decidiu um conjunto de medidas tão patéticas que até o presidente do IEFP, recentemente nomeado pelo governo, já veio a público duvidar da sua eficácia.

2012/02/19 - 12:00am

O recém-nomeado penitenciário-mor da Santa Sé, Cardeal D. Manuel M. de Castro tem uma solução para o país – se é mulher, deve ficar em casa.

2012/02/11 - 12:21am

Faz hoje cinco anos que as portuguesas e os portugueses foram às urnas para votar sobre a despenalização do aborto. Votaram de forma inequívoca pela revogação de uma lei absurda que nada resolvia, penalizava e humilhava as mulheres.

2012/02/06 - 2:10pm

Hoje é o Dia Internacional da Tolerância Zero às Mutilações Genitais Femininas.

2012/01/15 - 12:03am

Não será casual o patronato colocar em causa os dias de trabalho sindical e os dias de campanha eleitoral como faltas justificadas e remuneradas. Querem chegar ao coração da democracia...

2012/01/08 - 12:05am

Se aumentar 7 euros numa pensão de 189 euros não é uma medida simbólica, então só pode ser uma coisa: uma afronta aos mais pobres e uma marca concreta e indisfarçável da política anti-social do Governo.

Pages