You are here

Helena Pinto

Dirigente do Bloco de Esquerda. Vereadora da Câmara de Torres Novas. Animadora social.

Artigos do Autor(a)

2011/09/25 - 12:47am

Por um lado as medidas de austeridade reduzem drasticamente o poder de compra das pessoas e das famílias, por outro existe um ataque, também ele sem precedentes.

2011/09/08 - 1:10pm

Tirar a comparticipação à pílula contraceptiva é um retrocesso civilizacional que atinge directamente as mulheres, que fere a sua emancipação. Mas o Ministro fez mais e cortou a comparticipação na vacina contra o cancro do colo do útero. Não se trata de insensibilidade, é mesmo um atentado à saúde e à saúde das nossas jovens, das nossas filhas.

2011/09/01 - 1:21pm

É tempo de não deixar cair no esquecimento nenhuma das vítimas.

2011/04/01 - 12:00am

A posse de bens em completa discrepância com os rendimentos declarados por força de se exercer um cargo político ou público, sem justificação sobre a sua origem lícita, configura, de facto, um crime de enriquecimento ilícito e deve ser punido, enquanto tal.

2011/02/09 - 4:02pm

O Governo não assinou um acordo bilateral com os EUA. Assinou, de cruz, todas as propostas e pretensões da administração norte-americana, não hesitando mesmo em desrespeitar as leis e a Constituição da República.

2010/10/20 - 12:38am

Teixeira dos Santos e todo o Governo deviam pintar a cara de preto e assumir que o combate à pobreza não é uma prioridade sua.

2010/08/10 - 2:10pm

Estas medidas significam uma espiral de baixa dos salários. Significam uma pressão brutal para baixar os salários no nosso país, que como sabemos já são dos mais baixos.

2010/04/09 - 12:00am

António Mexia recebeu no ano de 2009 - 3 milhões e 100 mil euros em salários e prémios.

2010/01/08 - 12:00am

Hoje o parlamento inicia o processo legislativo para assegurar a todas as pessoas o direito ao casamento. É o primeiro dia do fim de uma das discriminações contra os gays e as lésbicas. Hoje haverá mais respeito por pessoas que têm sido diminuídas na sua vida. Hoje haverá um pouco mais de democracia.

2007/02/17 - 12:00am

A vitória do "Sim" no dia 11 de Fevereiro foi inequívoca. A maioria do povo português votou pela despenalização do aborto, até às 10 semanas, por opção da mulher, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado.
Houve quem tentasse pôr este resultado em causa - o Referendo não foi vinculativo. Juridicamente não foi, é verdade. Mas só um grande descaramento e uma grande falta de pudor político e ético, pode colocar em causa a sua legitimidade política.

Pages