You are here

Marcha de pais Natal pela suspensão das portagens na Via do Infante

Utentes da Via do Infante protestaram neste sábado junto à casa de férias de Cavaco Silva. A marcha de pais Natal chamou a atenção para as mortes registadas na EN125 e deixou à porta da casa do PR um conjunto de presentes, com mensagens como “Cavaco Silva demite o Passos e demite-te” ou “Valor da casa da Coelha – segredo de Estado”.
Marcha de pais Natal junto à casa de férias de Cavaco SIlva - Foto de Ana Martins, extraída do facebook

A marcha dos pais Natal, convocada pela Comissão de Utentes da Via do Infante (A22) para protestar contra o pagamento de portagens, começou no parque de estacionamento de um centro comercial da Guia, localidade onde fizeram uma paragem.

Segundo a agência Lusa, os utentes da Via do Infante transportavam uma faixa com a inscrição “Suspensão de portagens já – Um ano a destruir o Algarve” e seguiram de bicicleta e em marcha lenta até à casa de férias de Cavaco Silva, na aldeia da Coelha.

À porta da casa do Presidente da República, os utentes deixaram um conjunto de presentes, com mensagens como “Cavaco Silva demite o Passos e demite-te” ou “Valor da casa da Coelha – segredo de Estado”, e um membros da comissão de utentes leu uma carta endereçada a Cavaco Silva a pedir o fim das portagens na A22.

Os utentes denunciaram também as mortes registadas na Estrada Nacional 125 devido ao aumento do tráfego motivado pela fuga de automobilistas da Via do Infante e salientaram que as portagens agravaram a crise económica e o desemprego no Algarve.

“A EN125 está cheia e a Via do Infante vazia, porque as pessoas não têm condições para lá andar porque sai caro” disse José Domingos, da Comissão de Utentes da Via do Infante, à Lusa. Salientou também que a iniciativa serve para mostrar que os governantes do país “não têm feito nada a favor da população” e deviam demitir-se, acrescentando que o protesto serve para “as pessoas abrirem os olhos e verem que vale a pena lutarem, manifestarem-se”.

Termos relacionados Sociedade
(...)