Bloco quer que Relvas explique interesse da Newshold na RTP

14 de December 2012 - 15:53

Cecília Honório, vice-presidente do grupo parlamentar do Bloco de Esquerda, requereu nesta sexta feira a ida do ministro Miguel Relvas à AR, para que dê explicações sobre uma privatização da RTP “feita à la carte´” com “todas as consequências que terá para a estação pública a entrega ao capital angolano”.

PARTILHAR
Miguel Relvas na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais para esclarecer ligações ao ex-diretor do SIED, 30 de maio de 2012 – Foto de Manuel de Almeida/Lusa

“Para o Bloco de Esquerda só há uma solução, a estação pública tem de ficar em mãos públicas e não há outra alternativa”, declarou a deputada Cecília Honório aos jornalistas na Assembleia da República.

Segundo a agência Lusa, Cecília Honório criticou: “Verificamos que há aqui um interesse em que um país onde os direitos humanos são muitas vezes postos em causa, onde a liberdade de imprensa não existe verdadeiramente, que esse país tenha um ascendente para nós inqualificável no futuro da estação pública”.

Recordemos que a Newshold, uma empresa próxima do poder angolano, anunciou nesta quinta feira (ver notícia no esquerda.net) que é candidata à compra da RTP. A empresa angolana já detém o jornal “Sol”, 15,08% da Cofina (proprietária dos jornais “Correio da Manhã”, “Jornal de Negócios” e “Record”, entre outros meios) e, em outubro passado, foi noticiado que pretende comprar “Diário de Notícias”, “Jornal de Notícias” e a rádio “TSF”.

Há duas semanas o presidente da RTP, Alberto da Ponte, que foi nomeado pelo ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, esteve em Angola durante quatro dias onde se encontrou com o empresário angolano Domingos Vunge, com ligações à Newshold, devido a esta empresa deter 15,08% da Cofina, “a mais bem colocada na corrida à privatização de 49% da RTP” e a Newshold ser a “mola financeira” do negócio da privatização da RTP.