Luís Monteiro

Luís Monteiro

Museólogo. Investigador no Centro de Estudos Transdisciplinares “Cultura, Espaço e Memória”, Universidade do Porto

O museu não tem de apresentar nem defender qualquer tipo de código de bons costumes.

Devem as portas da razão estar constantemente abertas para que todos os seus inimigos possam festejar na sua sala de estar?

O debate sobre a democratização do acesso ao ensino superior deve apontar como objetivo abrir mais portas e não o contrário.

Estes dois pecados capitais apontados pelo presidente do IST assumem duas dimensões: a dimensão da perseguição política e a do assédio moral.

Comemoram-se os cinquenta anos do ‘Maio de 68’. Universidades, entidades públicas e privadas, organismos do Estado, têm, de uma forma ou de outra, assinalado a data.

É assustador como se assiste às manobras para fintar a lei em instituições de referência.

O que ninguém estava à espera é que Manuel Heitor investigador fosse criticar a governação de Manuel Heitor ministro.

Na passada semana, as ruas das principais cidades universitárias do país tiveram mais cor. Desfilaram estudantes universitários que não se revêm no atual sistema de ensino superior.

Do Festival da Eurovisão ao ensino superior, a exceção virou regra e o recurso a vínculos precários vulgarizou-se.

É necessário, mais do que no passado, criar uma cultura da prática desportiva que previna um conjunto de doenças e promova um estilo de vida saudável.