Luís Monteiro

Luís Monteiro

Museólogo. Investigador no Centro de Estudos Transdisciplinares “Cultura, Espaço e Memória”, Universidade do Porto

Estamos sem Governo. Sem Governo com capacidade de governar. Não tem confiança de ninguém, nem dos mercados que tanto defendem.

Esta revolta é a gota de água representativa do fim da paciência do povo turco em relação à política austera do seu governo.

A par da ilha de Malta, somos o único país europeu que obriga alunos de 9 anos a fazerem um exame para finalizarem o ensino primário.

Urge uma resposta popular de todos os setores da sociedade, um levantamento contra o roubo dos salários. É tempo de Inconformação e proposta política.

Esta semana, um estudo da Ex-Aequo mostra que o bullying homofóbico já chegou às escolas do ensino básico. Nunca fez tanto sentido o projeto-lei do Bloco e a luta do dia-a-dia contra a violência de género e a homofobia.

Em Outubro e Novembro passados, milhares de estudantes italianos protestaram contra a atual crise económica e financeira, ocupando ruas em várias cidades de Itália. Agora, em vésperas de eleições italianas, é importante tentar entender para onde é canalizado este descontentamento.

Em Portugal respondemos criminalmente a partir dos 16 anos, podemos trabalhar, pagar impostos e descontar para a Segurança Social antes dos 18. Mas não podemos escolher as políticas que decidem o que nos afeta no dia-a-dia.

No início de Novembro passado, já com o primeiro período de aulas a decorrer, os alunos dos cursos artísticos especializados ficaram a saber que as regras de avaliação e de cálculo das suas médias tinham sido alteradas.