You are here

MAC comemora 80 anos sem saber quando acaba

A Maternidade Alfredo da Costa comemora 80 anos esta quarta-feira, mas a mudança de instalações não traz motivos para a festa. O Governo queria fechá-la no fim do ano, mas esta semana a administração do hospital adiou para março a transferência para o hospital de Dona Estefânia.
Profisionais da MAC e milhares de utentes protestaram contra o encerramento da maternidade em abril. Foto Paulete Matos.

"Vamos celebrar o que fizemos. Quanto ao futuro… a situação é cinzenta", afirmou a diretora do Serviço de Obstetrícia da Maternidade Alfredo da Costa ao Diário de Notícias. A MAC tinha prazo de encerramento apontado para o fim deste mês, mas as obras necessárias em D. Estefânia vão demorar mais uns meses. O Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Lisboa Central diz agora que os serviços de Ginecologia/Obstetrícia e os Cuidados Intensivos Neonatais deverão ser transferidos em março.

O Governo pretende desocupar o edifício da MAC, que foi construído em 1932 para ser uma maternidade, mas os profissionais de saúde e os utentes não entendem a pressa de Paulo Macedo, que obrigará a duas transferências das equipas e dos equipamentos num espaço de três anos. O Governo promete que a passagem para D. Estefânia será provisória, durante três anos, com os serviços a deslocarem-se depois para o futuro Hospital de Todos os Santos.

"Há a preocupação natural dos profissionais perante o mais que provável desmantelamento das equipas", afirma a diretora do Serviço de Obstetrícia, acrescentando que "o espaço e a atividade da MAC não cabem na Estefânia". Ana Campos lembra ainda que os profissionais da MAC "sempre disseram que não tinham apego ao edifício. O que temos é muito apego às equipas multidisciplinares, que têm provado resultados assinaláveis no atendimento da mulher, da grávida e cuidados infantis."

Termos relacionados Sociedade
(...)