Deolinda Martin

Deolinda Martin

Professora aposentada. Dirigente sindical.

Quem vive da sua pensão ou da sua reforma sabe bem os malabarismos que a maioria absoluta do PS tem feito, para tornear o necessário aumento para que os idosos possam fazer frente também ao crescimento da inflação.

Quem pensa as cidades, se é que há alguém que as reflete e planeia, não tem como centro dessa reflexão, a vivência que todos nós iremos fazer delas, tem sim como eixos centrais: a mobilidade, as zonas comerciais e industriais, algumas vezes enquadram zonas de cultura, zonas de saúde…

Ai a minha casa… já não é… eram as palavras de uma criança de tenra idade que assistia à demolição da sua habitação, ontem!

Com o recente triste acontecimento que nos chegou do ataque a uma criança sentiu-se, mais uma vez, a necessidade de debater a temática sobre os cães potencialmente perigosos.

A linha azul do Metropolitano de Lisboa passou a ter, temporariamente, nas horas de ponta, percursos alternados entre a Pontinha e a Reboleira, reduzindo assim a oferta do serviço à população da Amadora.

Decorreu no último fim-de-semana, em Berlim, no espaço Karl-Liebknecht-Haus, um encontro de sindicalistas da Esquerda Europeia, com a presença de 11 países. Por Deolinda Martin.

O XIII Congresso da CGTP, que decorrerá sexta-feira e sábado em Almada, tem um papel central na definição das prioridades para que a esperança, criada a 4 de outubro de 2015, se transforme em caminho de futuro.

A 17 e 18 de outubro decorreu o “Fórum Social” em Bruxelas, excecionalmente participado por sindicalistas de toda a Europa. O “Fórum Social” procurou construir e encontrar espaços de articulação e de cooperação, que permitam a resistência e a luta.

Esta Greve de Professores será, uma grande lição que damos aos nossos alunos, é a lição da coerência e verticalidade de quem pratica o que ensina.

No próximo sábado, dia 26 de fevereiro, os professores voltarão à rua, ocupando-a em defesa da escola pública e da sua profissão!