You are here

“Este sábado é o primeiro dia da recuperação da decência contra o empobrecimento”

"Não há nenhum governo que se possa virar de costas e fingir que o país não tem uma opinião", afirmou Francisco Louçã, considerando que este sábado “é o primeiro dia da recuperação da decência contra o empobrecimento e isso é o que os governantes vão ouvir”. Disse ainda que Portugal está ser governado por incompetentes e fanáticos ideológicos, que querem um país de pedintes e frisou que o Bloco está "inteiramente disponível" para um Governo de esquerda contra a troika.

Francisco Louçã declarou à comunicação social em Guimarães, margem de uma visita à Capital Europeia da Cultura Guimarães 2012, nesta sexta feira, que o anúncio das novas medidas de austeridade que Passos Coelho “confirmou que toma medidas sem as estudar, sem as pensar e sem saber o que vai acontecer”.

O coordenador da comissão política do Bloco de Esquerda lembrou que a "ideia extraordinária" de "tirar pelo menos um salário dos trabalhadores e entregar aos patrões" "não foi aplicada em nenhum país do mundo".

Francisco Louçã apontou que Passos Coelho “acha que pode agora haver uns descontos nas caixas do supermercado, que alguém vai baixar os ‘spreads’ dos novos empréstimos que não são concedidos a ninguém para a compra de uma casa ou para atividade económica, ou seja, fantasias” e sublinhou que “o primeiro-ministro vive no reino da fantasia” e “só tem uma obsessão”, a de “usar o máximo dos salários e das pensões para pagar a agiotas que recebem a um por cento, cobram a quatro, cinco ou seis ou sete ou doze”.

O dirigente do Bloco salientou ainda que o Governo quer “um país de trabalhadores pobres, de gente miserável, de pedintes, de trabalhadores sem qualificação” e apelou à participação nas manifestações contra a ‘troika’ marcadas para sábado em todo o país, frisando que a resposta é trazer "a democracia para a rua".

"Não há nenhum governo que se possa virar de costas e fingir que o país não tem uma opinião", defendeu ainda Francisco Louçã, considerando que este sábado “é o primeiro do princípio da democracia, é o primeiro dia da recuperação da decência contra o empobrecimento e isso é o que os governantes vão ouvir”.

O coordenador da comissão política do Bloco disse também que "se os portugueses ficarem à espera do Presidente da República, ou de Paulo Portas e das suas tricas com o dr. Passos Coelho então Portugal entrará no abismo que tem estado a viver", lembrando: “O CDS mentiu aos reformados e tirou-lhes dois meses do seu rendimento para o qual tinham descontado toda a vida. Mentiu aos jovens precários e aos desempregados. E a política não pode continuar a ser feita assim".

A concluir, Francisco Louçã declarou que o Bloco de Esquerda está "inteiramente disponível" para um Governo de esquerda, desde que este "represente um governo contra" a ‘troika’ e destacou que “Portugal só recupera se disser que o memorando termina no dia em que houver um Governo que põe as prioridades da República acima dos agiotas”.

Termos relacionados Sociedade
(...)