You are here

Coletivo Habita apela à participação nas Manifestações de 15 de setembro

Em comunicado de imprensa, o coletivo Habita adianta que irá juntar-se à manifestação "Que se lixe a troika! Queremos as nossas vidas!”, que se realiza este sábado em 33 cidades portuguesas, e apela à participação neste protesto.
Foto de Sandra Bernardo, publicada no blogue do coletivo Habita.

"O Habita – Coletivo pelo Direito à Habitação e à Cidade junta-se à iniciativa 'que se lixe a troika', apela à participação na manifestação a realizar-se amanhã, dia 15 de setembro a partir das 17h e que visa contestar o regime de austeridade que tem sido imposto não só a Portugal, mas também à Grécia, a Espanha, a Itália e à Irlanda, colocando estes países reféns da troika e da especulação financeira e instituindo uma política de empobrecimento”, adianta o coletivo em comunicado de imprensa.

O Habita responde assim ao “apelo à construção de alternativas, passo a passo, que partam da mobilização das populações destes países e que cidadãs e cidadãos gregos, espanhóis, italianos, irlandeses, portugueses e todas as pessoas se juntem, concertando ações, lutando pelas suas vidas e unindo as suas vozes”.

No entender desta organização, “as políticas austeritárias promovidas pela troika só têm contribuído para generalizar o desemprego e a precariedade e para baixar os salários, fazendo disparar os níveis de incumprimento nos créditos à habitação e produzindo efeitos sociais dramáticos, que as medidas propostas vêm agravar: as pessoas têm dificuldades em fazer face à suas necessidades mais básicas e estão em risco de perder o seu único teto”.

“Lembramos que os níveis de incumprimento nos créditos à habitação, agora verificados, são sintoma do fracasso das políticas 'queres casa vai ao banco', adianta o Habita, sublinhando que “estas políticas, incentivadas pelos sucessivos governos, trataram a habitação como um negócio e promoveram o endividamento como forma permitir às pessoas pagarem os preços inflacionados e especulativos, bem superiores a um poder de compra condicionado pelos baixos salários praticados em Portugal”.

Para este coletivo, “a proposta apresentada esta semana pelos partidos da coligação governamental (PSD e CDS-PP) relativa à situação das famílias e das pessoas que deixaram de conseguir pagar os seus créditos à habitação é um sinal, muito preocupante, de que o governo não pretende assumir as suas responsabilidades na promoção de políticas que salvaguardem o direito à habitação, contribuindo para agravar situação social e habitacional de grande parte das pessoas”.

Termos relacionados Sociedade
(...)