You are here

A mentira é como uma bola de neve

Gaspar dizia uma coisa e fez outra; o CDS idem; de Passos Coelho nem se fala. E o pior é que a procissão ainda vai no adro.

Vítor Gaspar disse a 17 de outubro do ano passado que "a descida da Taxa Social Única é uma medida que funciona muito bem no quadro dos modelos utilizados na Universidade". Acrescentou que uma tal medida nunca foi utilizada em qualquer país.

Pergunta-se: o que mudou nestes dez meses? Afinal a descida da TSU já foi aplicada nalgum país? Já funcionou nalgum lugar fora das Universidades? Quantos empregos criou?

Gaspar, se bem se lembram, foi aquele que disse: “Eu não minto, eu não engano, eu não ludibrio. Não faço nenhuma dessas coisas, não farei nenhuma dessas coisas".

Já o ex-dirigente do PSD e empresário Alexandre Relvas disse esta segunda-feira que a redução da TSU para as empresas e o aumento para os trabalhadores “só podem resultar de um enorme desconhecimento da realidade empresarial”. O ex-diretor de campanha de Cavaco Silva afirmou que “estas medidas não terão impacto estrutural, nem sobre emprego nem sobre as exportações. O número de empregos criado será marginal, assim como será marginal o aumento das exportações”. Mais: disse que as medidas representam sujeitar o país ao experimentalismo social, a mando da ‘troika’, e que isso é inaceitável e “um profundo desrespeito pelos portugueses”.

Pergunta-se: alguém duvida que Alexandre Relvas tem razão?

(Aliás, falando em Relvas: onde anda o outro Relvas, o Miguel, o ministro da Presidência? Parece que depois da fuga estratégica para Timor, agora foi para o Brasil).

Um verdadeiro imposto”

O CDS/PP gosta de se apresentar como o “partido do contribuinte”, que não perde uma oportunidade de afirmar: “somos e seremos contra o aumento de impostos”, como disse recentemente o deputado João Almeida, entre outros.

O ministro da Solidariedade e da Segurança Social, Pedro Mota Soares, afirmou que o aumento da contribuição social de 11% para 18% não é um imposto, mas antes um recurso para criar emprego.

Já Bagão Félix afirma o oposto: para ele, o aumento da contribuição social é um “verdadeiro imposto”. Mais: não acredita que a descida da contribuição social das empresas vá criar mais emprego.

Pedro Mota Soares é do CDS/PP. Bagão Félix foi ministro das Finanças e da Segurança Social, também em governos de coligação PSD/CDS, e foi deputado centrista.

Pergunta-se: alguém duvida que Bagão Félix tem razão? Alguém duvida que o frenético Pedro Mota Soares está, para usar as palavras de Gaspar, a ludibriar?

Pedro Passos Coelho disse na campanha que não aumentaria impostos nem tiraria os subsídios de férias e de Natal aos portugueses. Foi assim que começou a mentir.

Diz o provérbio: "A mentira é como uma bola de neve; quanto mais rola, mais engrossa". E o pior é que ainda não parou de rolar.

Sobre o/a autor(a)

Jornalista do Esquerda.net
(...)