You are here

Miguel Cardina

Historiador, doutorado em História, investigador do CES/UC.

Coordenador do projecto CROME – Memórias Cruzadas, Políticas do Silêncio. As guerras coloniais e de libertação em tempos pós-coloniais, financiado pelo Conselho Europeu de Investigação

Artigos do Autor(a)

2013/05/17 - 12:10pm

Cada um e cada uma é responsável pelo seu voto ou pela sua abstenção, pela atitude tomada ou pela falta dela, pelo gesto de sair à rua ou de permanecer no sofá. Os tempos a isso mesmo convocam. Ignorar o presente é tomar (um mau) partido pelo futuro.

2013/03/22 - 6:46pm

O que a narrativa da tristeza não pode obliterar é que este povo que se indigna faz uma escolha. E essa escolha não é, predominantemente, entre a alegria ou a tristeza. É entre a resignação e a esperança.

2013/02/22 - 12:17am

Relvas é o Américo Tomás dos tempos modernos. A quantidade de piadas que se fazem sobre o ministro turbo-licenciado competem com o melhor humorista nacional.

2013/01/25 - 1:10am

As crises são particularmente madrastas para quem, à fragilidade económica, soma outras vulnerabilidades. Num patamar diferente, existe um outro conjunto de seres que também sofrem com estes dias cinzentos que atravessamos: falo dos animais domésticos.

2012/12/30 - 12:00am

Não tenhamos dúvidas: para estes governantes, o país tem um excedente na rubrica "cidadãos". Quando assim é, resta-nos a obrigação moral de escolher entre o país ou o governo.

2012/11/30 - 11:52am

As palavras de Passos Coelho foram claras quanto à vontade de perverter o carácter público da educação. O plano do governo passa por estender os espaços de negócio no ensino e atacar a sua universalidade.

2012/11/02 - 12:31pm

Um espectro paira na boca dos nossos governantes: o espectro da novilíngua. A novilíngua é a ideologia feita senso comum. É a língua que o poder dominante usa para legitimar a sua política.

2012/08/12 - 6:42pm

Uma passagem por Peniche fez-me regressar à Fortaleza e ao núcleo museológico aí instalado, dedicado à resistência ao Estado Novo. Como seria importante termos ali um grande museu da repressão e da resistência.

Pages