You are here

Serviços Públicos: 4.000 equipamentos fecharam em 10 anos

Escolas, postos dos correios, extensões de saúde, blocos de parto... desde o ano 2000 foram mais de quatro milhares de serviços encerrados em todo o país. Viseu e Vila Real foram os que mais perderam escolas e correios.
Por imposição da 'troika', redução estender-se-á nos próximos meses aos tribunais e às juntas de freguesia. Foto de Paulete Matos

Um levantamento realizado pela agência Lusa revela que mais de quatro mil serviços públicos fecharam desde 2000 em Portugal e os distritos de Viseu e de Vila Real foram os que mais perderam escolas e correios, por exemplo..

A sangria de pessoas de muitos concelhos do interior e a nova organização do território levaram ao fecho de milhares de escolas, postos de correio, blocos de parto e extensões de centros de saúde.

Desde 2000, Viseu perdeu um total de 480 serviços públicos, entre 443 escolas, 15 postos de correios, 11 extensões de saúde e 1 blocos de parto.

Em breve deverá perder nove tribunais, no âmbito da reorganização do mapa judiciário.

Vila real perdeu 444 serviços: 381 escolas, 10 postos dos correios, 45 extensões de saúde, 1 bloco de parto a que se deverão somar seis tribunais.

Distritos alentejanos perderam menos

Na lista seguem-se os distritos de Aveiro (com menos 348 serviços), de Lisboa (339), Bragança (302), Braga (297), Coimbra (281), Santarém (278), Guarda (267), Porto (266) e Leiria (229).

Os distritos alentejanos foram os que perderam menos: Beja perdeu 78 serviços públicos, Évora 49 e Portalegre 39.

No distrito de Castelo Branco acabou um total de 139 serviços públicos - 105 deles escolas -, em Faro terminaram 128 serviços públicos, em Setúbal 106 e em Viana do Castelo 178.

Nos Açores, Angra do Heroísmo perdeu 10 serviços, a Horta 19 e Ponta Delgada 16, mas estes números não incluem os dados das escolas encerradas.

Na Madeira encerraram 36 serviços, número que também não inclui as escolas.

No país encerraram 18 extensões de saúde e todas as 18 capitais de distrito do continente perderam o respetivo Governo Civil.

Tribunais e juntas de freguesia

A redução, por imposição da 'troika', estender-se-á nos próximos meses aos tribunais e às juntas de freguesia, num processo que está a colocar em tensão o país fora dos grandes centros urbanos.

Os tribunais que devem encerrar são 54, de acordo com a polémica reforma do mapa judiciário que o governo está a levar a cabo.

As freguesias que devem ser agregadas até ao final de novembro estimam-se entre mil a 1200.

O número de escolas do primeiro ciclo baixou de 6.050 no ano letivo de 2005/2006, no continente, para 2.569 no ano letivo de 2010/2011, tendo sido desativados um total de 3.481 estabelecimentos em cinco anos, segundo dados do Ministério da Educação.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)