You are here

Conselheiro de Hollande diz que a Grécia precisa de tempo

Philippe Aghion que acompanha, desde há um ano, Francois Hollande como seu conselheiro, entende que uma hipotética saída da Grécia do euro “seria muito, muito cara” e que aquele país precisa de tempo.
Philippe Aghion diz que com uma hipotética saída Grécia do euro “a França iria perder imediatamente 80 mil milhões e a Europa iria enfrentar um problema de pagamentos enorme, com Bancos em Portugal e Espanha em risco, devido a uma previsível corrida aos depósitos”

Perante o facto de haver na Alemanha cada vez mais especialistas a desvalorizarem as consequências de uma saída da Grécia da zona Euro, atendendo ao facto de o contágio a outras economias hipoteticamente estar a diminuir progressivamente e que afinal os investidores privados já teriam retirado o seu dinheiro, Philippe Aghion diz “ Isso é errado. A retirada da Grécia seria muito, muito cara. A França iria perder imediatamente 80 mil milhões e a Europa iria enfrentar um problema de pagamentos enorme, com Bancos em Portugal e Espanha em risco, devido a uma previsível corrida aos depósitos”

A solução, segundo Aghion, “passa por dar tempo e paciência aos gregos. As condições impostas devem ser aligeiradas e portanto dar mais tempo para as reformas.”

“Na Grécia há um problema de pagamento de impostos e nós iremos ajudar o próximo governo de esquerda não só a regular e reformar o sistema fiscal como a conseguir que os acordos com a União Europeia sejam cumpridos.”

O conselheiro acusou ainda o Governo Merkel de querer punir os gregos com as medidas de austeridade. Perguntado se encontrava uma explicação para isto, disse que “os alemães não sentem o perigo de uma saída grega. Eles só se interrogam porque havemos de pagar para os outros. Mas vão perceber que os bons tempos acabariam com a Europa a entrar em recessão.”

Sobre o/a autor(a)

Termos relacionados Internacional
(...)