You are here

Serviço Nacional de Saúde sob ameaça

Mediante o espetro da “disciplina orçamental”, o governo tem promovido um verdadeiro ataque ao SNS. Se, por um lado, procede ao desmantelamento do SNS e entrega aos privados a exploração dos serviços públicos de saúde, por outro, nega o direito à saúde aumentando brutalmente as taxas moderadoras. Dossier organizado por Mariana Carneiro.
Manifestação de Lisboa. Foto de PAULO CORDEIRO/LUSA

Neste dossier, poderá aceder ao artigo de Cristina Andrade, no qual a autora faz uma crítica ao modelo que impõe o pagamento, cada vez mais avultado, de taxas moderadoras. No seu texto, Guadalupe Simões fala-nos, por sua vez, sobre as tentativas de ataque ao Serviço Nacional de Saúde e as novas exigências com que são confrontados os profissionais.

António Rodrigues aborda a reforma dos Cuidados Primários de Saúde e Bruno Maia analisa, no seu artigo, aquelas que têm sido as escolhas políticas no financiamento do serviço público de saúde.

São ainda publicados neste dossier os contributos de Lino Romão sobre o reordenamento do SNS na Região Oeste e de Sofia Crisóstomo sobre aquela que poderá constituir uma política do medicamento alternativa.

João Semedo denuncia, no seu artigo, a armadilha da sustentabilidade e Ana campos fala-nos dos serviços públicos de saúde na área da Obstetrícia, Ginecologia e Neonatologia.

Sobre o/a autor(a)

Socióloga do Trabalho, especialista em Direito do trabalho
(...)

Resto dossier

Serviço Nacional de Saúde sob ameaça

Mediante o espetro da “disciplina orçamental”, o governo tem promovido um verdadeiro ataque ao SNS. Se, por um lado, procede ao desmantelamento do SNS e entrega aos privados a exploração dos serviços públicos de saúde, por outro, nega o direito à saúde aumentando brutalmente as taxas moderadoras. Dossier organizado por Mariana Carneiro.

Serviço Nacional de Saúde: Em Vias de Extinção?

O Ministério, ao contrário daquilo que seria avisado fazer, que seria ouvir opiniões das Comissões de saúde da mulher, da Criança, que conhecem bem a dinâmica da rede hospitalar, pretende agora, cedendo em toda a linha aos interesses das parcerias público-privadas e concretamente, neste momento, à gestão do hospital de Loures, encerrar a maternidade Alfredo da Costa. Artigo de Ana Campos.

A armadilha da sustentabilidade

O ministro da saúde afirma repetidamente que a sustentabilidade financeira do SNS não está garantida e que para a garantir é necessário cortar na despesa, fechar serviços e levar os portugueses a pagar mais pelos cuidados de saúde. Atenção, o ministro não está preocupado com isso, pelo contrário, esse é o seu desejo, o seu propósito, a sua política. Artigo de João Semedo.

Taxas moderadoras: moderar o quê?

O conceito de introduzir um pagamento no acesso aos cuidados de saúde, sob o pretexto dessa taxa moderar, ou seja, poder fazer as pessoas decidir se precisam ou não de ir a uma consulta é iníquo, falacioso e penaliza as/os utentes pelo facto de estarem doentes. Artigo de Cristina Andrade.

Cuidados mais baratos é igual a…. cuidados mais caros

As tentativas de ataque ao Serviço Nacional de Saúde, principalmente ao longo dos últimos anos, têm sido frequentes. A diferença é a voracidade com que têm acontecido. Artigo de Guadalupe Simões.

Os Cuidados Primários de Saúde – A reforma que “morreu na praia...”

É desde já adquirido que a reforma dos cuidados de saúde primários “morreu na praia”. Para dar lugar às inconfessadas linhas mestras desta governação: o centralismo, o racionamento e o esboçar, por enquanto tímido, de soluções privatizadoras. Artigo de António Rodrigues.

Como se financia a saúde?

Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu, disse há poucos dias que o modelo social Europeu de inclusão e solidariedade está morto. Não percebemos exatamente qual é a sua proposta para os serviços sociais como a escola, a saúde e a segurança social, mas sabemos o que está do outro lado da solidariedade e da inclusão: a selva! Artigo de Bruno Maia.

Reordenamento do SNS na Região Oeste

O reordenamento hospitalar na região Oeste é um belo eufemismo. O verdadeiro significado, oculto por essa linguagem “racionalizante”, é o desmantelamento em curso do SNS, em toda uma região que vai da área metropolitana de Lisboa, a Sul, até à cidade de Leiria, a Norte. Artigo de Lino Romão.

Uma política do medicamento alternativa

Assegurar o acesso ao medicamento e garantir a sustentabilidade do financiamento público – os dois objetivos não são contraditórios e uma mesma medida política pode concretizar ambos. Artigo de Sofia Crisóstomo.