João Mineiro

João Mineiro

Sociólogo e investigador

Miguel Relvas anunciou a sua mais recente contratação. Chama-se Miguel Gonçalves e vai ser qualquer coisa como “embaixador” do programa “Impulso Jovem”. É conhecido como o guru do empreendedorismo. Diz que é um ignorante em termos políticos. Não duvido. Mas a seu papel está carregado de ideologia.

Em Portugal, a violência policial é uma constante e a morte de Rúben não é um caso de excecional, é um caso que confirma a regra.

O governo encontrou a solução milagrosa: institucionalizar dois tipos de Ensino Superior, um para ricos, um para pobres.

Na semana passada a PSP decidiu reprimir com gás pimenta uma manifestação de estudantes do ensino básico e secundário de Braga. A PSP decidiu voluntária e conscientemente usar gás pimenta para reprimir a manifestação de modo a evitar “uma intervenção mais musculada”.

O ano de 2013 será o ano da consolidação do projeto ideológico da direita. À esquerda cabe uma tarefa história: construir um movimento de tal forma amplo e maioritário que consiga mudar a relação de forças, demitir o Governo e parar a política da Troika.

Ou Passos Coelho deixou-se envolver pelo entusiasmo da entrevista; ou fugiu-lhe a boca para a verdade e acabou de antecipar a proposta mais absurda e violenta que um governo poderia pensar para a escola pública.

Nos últimos anos fomos assistindo a estratégias de transformação da universidade pelo mercado, com o objetivo de amenizar o seu potencial crítico e emancipatório.

Qualquer tipo de ativismo que queira contrariar a praxe e o que ela representa não se faz nunca com base na hostilização das pessoas que nela participam, mas sim na criação de espaços alternativos, que preenchendo a função da praxe, podem, com tempo, esvaziar a sua hegemonia.

O governo promulgou as alterações ao regulamento de bolsas de estudo para os estudantes do Ensino Superior. Uma coisa temos desde já garantida: se no ano passado milhares de estudantes abandonaram o Ensino Superior, este ano serão muitos mais!

O estudo de Luísa Cerdeira, “Quanto custa estudar no Ensino Superior Português?”, revela que as Universidades Portuguesas estão mais elitizadas, há mais estudantes excluídos do Ensino Superior, em Portugal os direitos pagam-se. E pagam-se caro.