João Mineiro

João Mineiro

Sociólogo e investigador

Há muito da obscuridade da Opus Dei nestes tempos que enfrentamos. Não apenas muita gente dessa seita nos lugares que governam o país e o mundo, mas sobretudo uma narrativa que se incrusta nas ideias coletivas e individuais.

O governo autoritário que hoje exerce funções em Portugal já deu luzes sobre os seus objetivos: cortar nos apoios generalizados à investigação científica e garantir que apenas tem apoios se não ousar produzir conhecimentos que deslegitimem o poder.

Rap para aquecer consciências e convocar combates. Uma expressão artística que envolve milhares de pessoas, milhares de lutas, milhares de vontades.

A avaliar pelo frenesim patego e pacóvio que sucessivamente vai anunciando a sentença, tudo levaria a indicar que o Bloco é uma espécie de crónica de uma morte anunciada que se resumiria a um belo romance de Garcia Marquez.

Porque é que a JSD propõe uma revisão constitucional que não sufragou e para a qual não tem maioria no parlamento? Porque sabe se levasse esse projeto a eleições sairiam brutalmente derrotados.

A política não é uma profissão. É uma pena que nem todos pensem assim.

Alguma coisa não bate certo: a PSP identifica cidadãos acusados de atentado à segurança do transporte rodoviário; Miguel Macedo diz que a PSP agiu corretamente e que o caso agora cabe aos tribunais. E o que dizem os tribunais? Arquivaram o processo.

Este ano, 43 % dos estudantes que vão fazer exames não tenciona candidatar-se ao Ensino Superior. Caminhamos, assim, em contraciclo com todos os esforços que a sociedade portuguesa fez para a qualificação da sua população.

É tempo de celebrar a convicção de que venceremos todas as discriminações que continuam vivas, mesmo em tempos de celebração.

O Partido Socialista faz 40 anos. Poderíamos legitimamente perguntar o que é que aconteceu à segunda parte do seu nome.