João Mineiro

João Mineiro

Sociólogo e investigador

Questionado sobre o “ativismo político do Tribunal Constitucional”, António Vitorino arrancou uma gargalhada da plateia dizendo que “quando o PSD passar à oposição, vocês vão divertir-se imenso com o que o TC vai fazer a um Governo do PS”. Uma declaração deste tipo vale mais que qualquer retórica das primárias.

Para João Carlos Espada a desigualdade é útil porque ela depende da liberdade. Mas poderíamos legitimamente perguntar: que liberdade tem quem não tem recursos para viver?

O nosso futuro parece ser uma tela negra desenhada nos gabinetes de um conjunto de burocratas que nos querem condenar ao abismo, ao atraso e à degradação.

As pessoas estão com mais dificuldades e cada vez mais pobres com as medidas de austeridade. Mas como se isso não bastasse, estão ainda a ser punidas por não terem dinheiro para pagar os transportes de que precisam para viver.

O secretário geral da OCDE esteve em Lisboa para apresentar um relatório que o próprio governo encomendou sobre o sucesso das suas reformas. Olhando para os dados, a conclusão parece simples: os mitos propalados no documento não resistem a uma análise objetiva. Artigo de João Mineiro, publicado no blogue Inflexão.

O Rock Rendez-Vous foi uma das mais conhecidas sala de espetáculos de Lisboa dedicada ao rock português. Criado em Dezembro de 1980 e encerrado em Julho de 1990, este foi um espaço situado na Rua da Beneficência ao Rego e que substituiu o antigo Cinema Universal. Por João Mineiro

A desigualdade entre os mais ricos e os mais pobres aumentou na mesma proporção em que aumentaram as políticas de austeridade do chamado “ajustamento da economia portuguesa”.

Os Linda Martini são um dos principais grupos do novo rock português e não envergonham de nenhuma forma a geração que fez nascer e crescer o rock em Portugal.

A estratégia deste governo é só uma: criar todas as condições para ter um ensino superior mais elitizado, adaptado às exigências do mercado e fortemente dividido entre uma via educativa para pobres e outra para ricos.

Desde 2011 o número de matriculados no ensino superior tem vindo a diminuir. Haverá Ensino Superior a mais num país com um défice de qualificações tão elevado? O Governo acha que sim. A realidade diz-nos que não. Por João Mineiro.