You are here

Romney:‭ ‬1%‭ ‬da Nação de Deus

A taxa efetiva de imposto de Romney foi de 13,9% em 2010, uma pequena fração dos 35 % pagos pela média das famílias de classe média com quem ele diz tanto se preocupar.

Embora Mitt Romney ainda precise ganhar uma maioria numa primária Republicana, já obteve uma grande vitória na Florida. Logo após ele e os seus apoiantes super PACs (Comités de acção política) terem inundado as estações de rádio com publicidade no valor de um milhão de dólares num estado onde quase metade dos proprietários tem as habitações penhoradas, Romney falou sobre quem é que ele quer representar. “Vamos ouvir o Partido Democráta falar sobre os problemas dos pobres, e não há qualquer dúvida de que não é nada bom ser-se pobre”, disse ele a Soledad O’Brien da CNN. “Podemos escolher onde nos vamos concentrar, podemos concentrar-nos nos ricos, mas não é isso que eu quero. Podemos concentrar-nos nos muito pobres, mas também não é isso que eu quero. Quero concentrar-me nos americanos de recursos médios.”Quanto aos muito ricos, Romney assegura-nos: “Esses estão muito bem.” Com uma fortuna pessoal estimada em 250 milhões de dólares, Romney deve saber bem que sim.

A sua campanha está bem financiada, mas o sucesso de Romney, até à data, em particular contra o seu principal rival, Newt Gingrich, deve-se sobretudo a grandes injeções de dinheiro na chamada super PAC, a nova geração de comité de acção política que pode receber fundos ilimitados de particulares e de empresas. As super PAC estão proibidas por lei de coordenar as suas atividades com a campanha de um candidato. Os ficheiros da Comissão Federal de Eleições Federal Election Commission tornaram público a 31 de Janeiro que o principal super PAC a apoiar Romney, Restaurem o nosso Futuro (Restore Our Future), conseguiu angariar perto de 18 milhões de dólares no segundo semestre de 2011, e isto só de 199 doadores. Entre os seus apoiantes estão Alice Walton, que, embora figure nos relatórios como uma “rancheira”, é mais conhecida como a herdeira da fortuna Wal-Mart, e o famoso capitalista de risco e multimilionário Samuel Zell, o homem a quem se atribui ter conduzido à falência a empresa de comunicação social Tribune. William Koch, o terceiro dos famosos irmãos Koch, também contribui com dinheiro.

Comparemos esses 199 com o número de pessoas que vivem em pobreza nos Estados Unidos. De acordo com os números mais recentes disponibilizados pelos Censos dos Estados Unidos, 46,2 milhões de pessoas viviam em estado de pobreza em 2010 ou seja 15,1 por cento da população, o número mais elevado nos 52 anos em que têm sido publicadas as estimativas de pobreza. O ano de 2010 marcou o quarto ano consecutivo em que o número de pessoas em situação de pobreza aumentou.

No seu discurso de vitória em New Hampshire, Romney disse: "Este país já tem um líder que nos divide com discursos amargos de políticas de inveja. Precisamos oferecer uma visão alternativa. Estou disposto a levar-nos por um caminho diferente, onde todos nos regozijemos pelo nosso desejo de sucesso e não nos afundemos num ressentimento de sucesso… Somos uma nação de Deus.”

Na manhã seguinte, Matt Lauer da NBC desafiou Romney ao perguntar-lhe: “Está a sugerir que qualquer pessoa que questiona as políticas e práticas de Wall Street e das instituições financeiras, qualquer pessoa que tenha perguntas sobre a distribuição de riqueza e poder neste país, é invejosa? Isto refere-se a inveja ou justiça?” Romney reafirmou a sua opinião respondendo: “Eu acho que se trata de inveja. Eu acho que trata de luta de classes. Quando se tem um presidente que incentiva a ideia de dividir a América com base em 99 por cento contra 1 por cento – e essas pessoas que têm sido mais bem sucedidas estarão no 1 por cento – [isto é] inteiramente inconsistente com o conceito de uma nação de Deus.”

E não se preocupar com os pobres, é consistente? Romney apresenta uma crítica confusa do Presidente Obama e do movimento “Occupy Wall Street”. Deixemos de lado, por agora, o facto de que o movimento Occupy Wall Street é na generalidade muito crítico do Presidente Obama, e em particular dos seus nomeados como o Secretário do Tesouro, Timothy Geitner (que se mudou de Republicano para independente para estar ao serviço de Obama, mas não mudou as suas políticas) o seu antigo conselheiro económico Larry Summers. É bem claro que Romney não tem a menor ideia do que é o movimento Occupy Wall Street se pensa que as dezenas de milhares que protestam, muitas vezes enfrentando violência policial e correndo o risco de prisão, estão ali por causa de inveja. Conforme Lauer colocou a sua questão, estão ali por causa de justiça.

No mesmo discurso em New Hampshire, Romney disse que o Presidente Obama “quer transformar a América numa sociedade de direito estilo Europeu.” Palavras um tanto ou quanto curiosas vindas de um homem que depositou 3 milhões de dólares numa conta de um banco suíço. O fecho repentino da sua conta no banco UBS destaca-se como a sua própria forma de direito estilo Europeu. Associado a investimentos em paraísos fiscais como as Bermudas e Ilhas Caimão, a taxa efectiva de imposto de Romney foi de 13.9 por cento em 2010, uma pequena fracção dos 35 por cento pagos pela média das famílias de classe média com quem ele diz tanto se preocupar.

À medida que as suas campanhas prosseguem pelo seu 1 por cento da nação de Deus, Romney movimenta-se da Florida, o estado com a taxa mais elevada de habitações penhoradas, até ao Nevada, o estado com a maior taxa de desemprego. Espera-se que ele se importe cada vez mais, se não com os muito pobres, pelo menos com os votos que eles irão provavelmente colocar contra ele.

Denis Moyniham contribuiu com pesquisa para esta coluna

1 de Fevereiro de 2012

Tradução de Noémia Oliveira para o Esquerda.net

Sobre o/a autor(a)

Co-fundadora da rádio Democracy Now, jornalista norte-americana e escritora.
(...)