You are here

“FMI fora daqui”

Milhares de pessoas participaram na manifestação promovida pela plataforma 15 de Outubro em Lisboa, gritando palavras de ordem como “FMI, fora daqui” e transportando cartazes onde se podia ler inscrições como “Esta dívida não é nossa”.
Foto de Paulete Matos

Ao som de bombos, os participantes na manifestação promovida pela plataforma 15 de Outubro gritaram “Espanha, Grécia, Irlanda e Portugal, a nossa luta é internacional”, “Fora, fora já daqui, a fome a miséria e o FMI” e “Para aumentar o meu salário vou ser revolucionário”.

Segundo a agência Lusa, os manifestantes brandiram cartazes com inscrições como “Esta dívida não é nossa”, “Não somos lixo – protesto dos professores” e “35 mil contra a precariedade”.

À Lusa, Filipa Roque disse que a Plataforma 15 de Outubro exige “a suspensão imediata da dívida” e está na rua para dizer “basta!” de cortes na saúde e na educação, de austeridade, de pobreza e de fome.

Os manifestantes protestaram também contra o acordo de concertação social, considerando que é um “verdadeiro ataque” aos direitos laborais dos portugueses.

Outros movimentos associaram-se à manifestação, como a Comissão dos Utentes da Via do Infante e professores.

Um pequeno grupo de extrema direita, do autodenominado Movimento da Oposição Nacional, lançou um "very light" e provocou conflito com manifestantes mobilizados pela Plataforma, levando a que se ouvisse a palavra de ordem “25 de Abril Sempre! Fascismo Nunca Mais”.

Depois da manifestação, realizou-se uma assembleia popular junto à Assembleia da República.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)