You are here

Nascem cada vez menos bebés em Portugal

O ano de 2011 foi o pior quanto a número de nascimentos em Portugal desde que se faz esse registo. Pela segunda vez, o número de nascimentos no país ficou abaixo dos 100 mil. Ao mesmo tempo, mais de cem mil portugueses deixaram o país.

O Centro de Genética Médica Jacinto Magalhães do Instituto Ricardo Jorge contabilizou, através do teste do pezinho, feito a todos os recém-nascidos, o nascimento de 97112 bebés em 2011, menos 4269 do que em 2010. Segundo o Diário de Notícias, esta foi a segunda vez em que o número de nascimentos ficou abaixo dos 100 mil, e este foi o pior ano desde que se faz este registo. O acentuar da crise económica e da política de austeridade leva os portugueses a pensar duas vezes antes de se decidir a trazer uma nova vida ao mundo.

Menos nascimentos e o país esvazia-se

Recorde-se que entre 100 mil a 120 mil portugueses emigraram este ano, segundo estimativas do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário. Portugal, que durante os anos 90 deixara de ser um país de emigração e passara a ser predominantemente um país de acolhimento, inverteu novamente o fluxo. Não só deixou de ser atrativo para os imigrantes, que começam a debandar do país, como voltou a exportar mão de obra em grande quantidade.

Os novos emigrantes portugueses são cada vez mais qualificados e começam em faixas etárias mais novas, devido ao desemprego jovem.

No final do mês de Outubro estavam registados em Portugal como desempregados 141 mil jovens com idades compreendidas entre os 15 e os 24 anos. Isto significa que 30,4% da população deste grupo etário estava sem trabalho.

Este é o valor mais elevado de sempre no país e a segunda maior taxa de desemprego entre os jovens da zona euro, no mês de Outubro.

Ora quem se encontra nesta situação, a última coisa em que pensa é ter filhos.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)