You are here

InSeguro

Mesmo perante a extorsão organizada sobre funcionários públicos e pensionistas, posta em prática por Passos Coelho, o PS "inseguro" opta pela abstenção.

A decisão de se abster na votação do Orçamento mais injusto e penalizador das classes mais desfavorecidos das últimas décadas, é coerente com a política do PS de total absorção da ortodoxia neoliberal que tem sido a sua opção no Governo ou na oposição.

Mesmo perante a extorsão organizada sobre funcionários públicos e pensionistas, posta em prática por Passos Coelho, ultrapassando as medidas impostas pela "troika", o PS "inseguro" opta pela abstenção.

Mesmo face ao aumento do horário de trabalho no sector privado e no momento em que as duas centrais sindicais CGTP e UGT, avançam para a greve geral, o PS opta por não ofender os "mercados".

A total falência dos partidos socialistas e sociais-democratas europeus da Internacional Socialista, não propondo qualquer caminho diferente do seguido pela direita, é bem exemplificado pela atuação do PS português.

Quando no poder seguem os princípios do capitalismo selvagem ditados pelos interesses da banca e dos especuladores ("os mercados"). Depois de Sócrates é agora o PSOE de Zapatero que vai ter uma derrota eleitoral clamorosa, porque executou políticas de cortes sociais totalmente rejeitados pela população, abrindo o caminho à direita que tem estrada aberta para avançar.

Após executarem o serviço "sujo", aos partidos da Internacional Socialista é reservada a mesma sorte do PS português, (para além do PSOE será o caso do PASOK grego).

Deles nem uma ideia alternativa para o funcionamento da Europa.

Nem um levantar de voz contra a extorsão organizada pelos especuladores sobre os estados.

Apenas um desejo… regressar rapidamente ao poder.

Sobre o/a autor(a)

Professor e historiador.
(...)