You are here

Madeira precisa de um resgate de 3737 milhões de euros

De acordo com a Inspecção-Geral de Finanças, a Madeira precisa de um resgate financeiro de 3737 milhões de euros, um valor que pode ascender a 5816 milhões se forem consideradas as necessidades da Administração Regional e dos serviços e fundos autónomos até 2030.
Foto de Homem de Gouveia/Lusa

Só nos próximos quatro anos, a Madeira terá de pagar pelo serviço da dívida, titularização de créditos e regularização de dívidas 3550 milhões de euros. Já os juros e amortização de capital, entre 2016 e 2030, ascendem a 2266 milhões de euros, noticia hoje o jornal Público.

A Inspecção-Geral de Finanças chama a atenção para o sector empresarial da região, nomeadamente para as três concessões rodoviárias que funcionam, de facto, num sistema de parceria público-privada, propondo a renegociação destas parcerias e a introdução de portagens na ilha.

Numas eleições marcadas pelo tema da dívida escondida por Alberto João Jardim, ocabeça de lista do Bloco de Esquerda às eleições legislativas da Madeira, Roberto Almada, disse hoje que, para lá da dívida financeira e social, a região tem uma dívida à democracia e à liberdade. “É muito importante que os madeirenses não sejam penalizados por causa da dívida financeira, que se pague a dívida social a quem sofre e a quem é excluído socialmente, mas é preciso pagar também a dívida à democracia e à liberdade”.

A quatro dias do fim da campanha eleitoral, todos os esforços se concentram agora no combate à abstenção e na mobilização dos madeirenses para pôr fim a 32 anos de maioria absoluta do PSD. “É por isso que hoje queremos pedir àqueles 90 mil madeirenses que habitualmente se abstêm que não fiquem em casa no próximo dia 09 de Outubro”, defendeu Roberto Almada.

O coordenador da comissão política do Bloco de Esquerda, Francisco Louçã, marcará presença na campanha da Madeira amanhã e depois, com um jantar comício marcado para terça-feira e a visita
a uma das obras emblemáticas do despesismo jardinista, a marina do Lugar de Baixo, na quarta-feira.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
(...)