You are here

Destaque: "Import Export", filme de Ulrich Seidl

"Import Export" (Importação Exportação) mostra uma das facetas da transformação da Europa, revelando muito sobre o lado mais negro de uma nova realidade social e económica marcada pelos fluxos migratórios entre a Europa Ocidental e a de Leste.

Exibição: dia 2 de Maio, sexta-feira, 21H45, Cinema São Jorge 1

Ulrich Seidl

Ulrich Seidl nasceu em Viena e começou a sua carreira a trabalhar para a televisão Austríaca. Em 2001, o Festival Spotlight realizou uma mostra de alguns dos seus documentários, "Loss Is to Be Expected" (1992), "Animal Love" (1995), "Models" (1998) e a sua primeira longa metragem de ficção "Dog Days" (2001), que ganhou o Grande Prémio do Público no Festival Internacional de Veneza. "Good News" (1990), "State of the Nation" (2001), "Jesus, You Know" (2003), são outros filmes documentais que têm a sua assinatura.

Entre documentários e ficção, Ulrich Seidl tem um estilo único e inconfundível.

Os planos são longos, chocantes, polémicos e por vezes constrangedores, pelas verdades que expõe sem artifícios, através de personagens com características que revelam um outro lado do ser humano tantas vezes negligenciado.

Cartaz do filme Import Export "Import Export" (Importação Exportação) mostra uma das facetas de transformação da Europa, revelando muito sobre o lado mais negro de uma nova realidade social e económica marcada pelos fluxos migratórios entre a Europa Ocidental e a de Leste. A fuga à pobreza extrema e à miséria do Leste para o Oeste; e o Oeste que vai para o Leste, não para fugir à sobrevivência, mas para se alienar. Neste filme, Ulrich Seidl retrata uma mulher que viaja da Ucrânia para a Áustria (a "importação") e um homem que se aventura da Áustria para a Ucrânia (a "exportação"). Duas histórias paralelas sobre o mesmo tema, a exploração.

Na primeira primeira, acompanhamos Olga, uma jovem ucraniana que sonha com uma vida melhor, o emprego digno que tem como enfermeira não lhe paga o suficiente. Depois de ingressar na prostituição on-line, resolve emigrar clandestinamente para a Áustria em busca de melhores condições de vida onde acaba a trabalhar como empregada de limpeza num hospital geriátrico.

A segunda história conta a trajectória de Paul, um jovem segurança austríaco à procura de uma razão para se levantar de manhã, que depois de ter sido humilhado no seu trabalho como segurança, decide acompanhar o seu padrasto numa viagem de negócios mais ou menos lícitos aos países do leste europeu. Acabam na Ucrânia, mas os planos mudam: há demasiado álcool e raparigas.

Excertos do filme

http://www.youtube.com/watch?v=vBXq1CBk3QU&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=EaxSTMlNJ9Q&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=DYa3qNYSnJQ&feature=related

Página online

http://importexport.ulrichseidl.com/

(...)

Resto dossier

IndieLisboa, festival do cinema independente

Começa esta semana (de 24/4 a 3/5) a quinta edição do festival de cinema independente IndieLisboa. Com uma programação muito completa e variada, procurando sempre fugir do óbvio, o IndieLisboa é uma oportunidade de ouro para tomar contacto com filmes que muitas vezes estão afastados dos circuitos comerciais que monopolizam as salas de cinema. Para este dossier sobre o IndieLisboa ouvimos um dos seus programadores, Nuno Sena.

Destaque: "Import Export", filme de Ulrich Seidl

"Import Export" (Importação Exportação) mostra uma das facetas da transformação da Europa, revelando muito sobre o lado mais negro de uma nova realidade social e económica marcada pelos fluxos migratórios entre a Europa Ocidental e a de Leste.

Destaque: It´s A Free World, filme de Ken Loach

O filme de encerramento do IndieLisboa é "It´s A Free World" (É Um Mundo Livre), de Ken Loach, que retrata a degradação do sistema social europeu, não apenas para os que chegam ao continente como imigrantes, mas também para os que já cá vivem.

Conheça a programação do IndieLisboa

Para conhecer a programação completa do IndieLisboa, faça aqui o download do jornal em PDF, ou siga estes links para o site oficial do festival para conhecer a programação das suas diferentes secções: Competição Internacional, Competição Nacional , Observatório, Laboratório, Herói Independente, Director´s Cut, IndieMusic, IndieJúnior, Sessões especiais.

Nuno Sena (3): "Um festival de cinema independente tem de reflectir sobre o mundo em que é feito

Na conclusão da entrevista, Nuno Sena chama a atenção para dois filmes que abordam questões como a precariedade de emprego, os fluxos migratórios entre países com níveis de desenvolvimento muito diferenciados, a exploração da mão de obra ilegal: "Import Export", de Ulrich Seidl, e "It´s A Free World", de Ken Loach.

Nuno Sena (2): "O Indie tenta sempre fugir do óbvio"

Nesta segunda parte da entrevista, Nuno Sena fala sobre a forma como o IndieLisboa está estruturado, de forma a facilitar a consulta dos rpogramadores e o acesso do público. Mas insiste: o Indie tem como critério fugir do óbvio. "Não apanham o IndieLisboa a fazer uma retrospectiva de um autor, mesmo que gostemos muito dele, que esteja muito divulgado no mercado português."

Nuno Sena (1): "O cinema independente é mais livre de constrangimentos comerciais"

O Esquerda.net entrevistou Nuno Sena, um dos programadores do IndieLisboa sobre a história deste festival que já vai na sua quinta edição, os seus objectivos e a razão do seu sucesso. Nuno Sena foi assistente da direcção do Instituto Português da Arte Cinematográfica e Audiovisual/IPACA (depois ICAM) entre Abril de 1996 e Junho de 1998; dirigiu o Departamento de Exposição Permanente da Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema entre Agosto de 1998 e Junho de 2003 e integrou a direcção e o comité de programação do doclisboa entre 2004 e 2006.