You are here

A revolução russa passo a passo

A revolução de Outubro só foi possível depois de muitos esforços e sacrifícios da classe operária e dos camponeses, oprimidos e entregues à miséria durante o czarismo. A guerra foi sempre um elemento desencadeador de revoltas, tanto no ensaio geral de 1905 (durante a guerra Rússia-Japão) como na revolução de 1917 (participação da Rússia na primeira guerra mundial). O Esquerda.net apresenta aqui uma cronologia dos principais acontecimentos.
 

1894-1917: Nicolau II, o último czar da Rússia

- Programa de industrialização intensiva (especialmente entre 1894-1901).

- Em 1895, criação da "União de Luta pela Emancipação da Classe Operária" (São Petersburgo).

- Em 1898, primeiro congresso do Partido Trabalhista Russo Social-Democrata.

- Em 1900, primeira edição do "Iskra", jornal dos social-democratas.

- Em 1903, segundo congresso do Partido Trabalhista Russo Social-Democrata (divisão entre mencheviques e bolcheviques). Esta divisão veio a aprofundar-se mais tarde, com os Bolcheviques a advogarem a ditadura do proletariado e a revolução socialista e os mencheviques a defenderem a chegada ao socialismo através do amadurecimento do capitalismo.

- Entre 1904-1905 Guerra contra o Japão visando ocupar a Manchúria Chinesa e a Coreia. Rússia é derrotada e entrega Ilha Sacalina aos japoneses. (Após a 2ªGuerra Mundial, Japão derrotado entrega Sacalina e Curilas à URSS).

1905

"Domingo Sangrento" - insatisfação popular leva a uma manifestação pacífica, violentamente reprimida pela polícia do Czar.
Greves, protestos e tumultos seguem-se ao "Domingo Sangrento", (massacre, em janeiro, de milhares de pessoas que marcharam até o Palácio de Inverno, lideradas pelo padre Gapon); promessa de uma constituição, feita pelo czar, em agosto; em outubro, greve geral e formação do Soviete Supremo de São Petersburgo; também em outubro, manifesto imperial autorizando eleições para a Duma (parlamento) Estatal; em dezembro, onda de repressão (atingindo camponeses, estudantes, operários...), com prisão e exílio dos membros do Soviete Supremo de São Petersburgo.

1906

O Czar permite a criação de uma Monarquia Constitucional Parlamentar. Instala-se a DUMA (Parlamento) com deputados originários das elites.  Agitação revolucionária popular cresce e impulsiona a formação dos SOVIETES (Conselhos de Trabalhadores).

Conflitos aumentam. Duma é dissolvida. Retorna a autocracia czarista como solução radical.

- Em 1910, surgem as primeiras exposições dos grupos modernistas "Valete de Ouros", em Moscovo (que inclui Larionovo, Goncharova, Kandinsky e Malevich) e "União da Juventude", em São Petersburgo. No mesmo ano, é publicada a primeira coletânea de poesia futurista russa, com textos de Elena Guro, Khlebnikov, Kamensky, David e Nikolai Burliuk.

- 1912-1916: período de forte influência, sobre o casal imperial, de G.Rasputin (assassinado em 1916).

- 1913: realização do Primeiro Congresso Russo de Futurismo.

- 1914: entrada da Rússia na Primeira Guerra Mundial. Maiakóvsky e malevich realizam cartazes de propaganda política (os "lubik").

- 1916 -1917 - Império Russo está militarmente arrasado e economicamente desorganizado, com 1,5 milhão de mortos.

2. O período 1917-1928: da Revolução de Fevereiro ao fim da Nova Política económica

1917

Fevereiro

- Revolução de Fevereiro, que derruba a monarquia imperial russa.

- Insurreição de Petrogrado (motins/ levantes por comida/ greves/ protestos contra a guerra e a autocracia mobilizando milhares de pessoas).

- Formação do Soviete de Petrogrado (devido aos esforços dos "mencheviques", dos socialistas-revolucionários, dos socialistas populistas e dos "trudovki"). Nos dias seguintes, será formado um governo provisório, após um acordo entre o Soviete e a Duma (que havia constituído um comitê provisório, em seguida transformado em governo provisório).

Março

É criada a República da Duma (Parlamento). Nicolau II abdica a favor do seu filho, Mikhail Aleksandrovich (que renunciou à coroa)

Abril

Retorno de Lenine à Rússia ("bolcheviques" defenderão a tomada imediata da terra pelo campesinato, o controle da indústria pelos trabalhadores, o fim da guerra, "todo o poder aos sovietes" e "paz, terra, pão"). Greves.

Formação de um governo de coligação com o partido da burguesia, com a participação de mencheviques e socialistas revolucionários. Comprometido com as potências aliadas, que constituíam os principais investidores capitalistas estrangeiros no país, o novo governo parlamentar manteve a Rússia na 1ª Guerra Mundial, não produzindo alterações na crise.

Maio

Chegada de Trotsky, retornando do exílio na América.

Crise no governo provisório, que é reorganizado. Kerensky torna-se ministro da Guerra (ordenará uma ofensiva que será um absoluto fracasso, com deserções em massa que ajudam a apoiar a propaganda bolchevista).

Maio/Junho

-Eleições municipais: vitória da ala mais moderada dos socialistas.

- Em junho é realizado o Primeiro Congresso dos Sovietes da Rússia.

Julho

- Levantamentos e protestos contra o governo provisório; penetração da propaganda bolchevique mostra-se visível.

- Novo governo, com Kerensky à frente (primeiro-ministro), restabelecerá a pena de morte (abolida nos primeiros dias da revolução) e postergará a convocação de uma assembleia constituinte, além de promover a perseguição aos bolcheviques (Lenine esconde-se na Finlândia e Trotsky, além de outros líderes, é preso).

Agosto

Tentativa de golpe da direita e extrema-direita, sob a liderança do general Kornilov; a tentativa fracassa.

Setembro

- Trotsky é eleito presidente do Soviete de Petrogrado. Em outubro, o Soviete cria o Comitê Militar Revolucionário, para defender a capital da contra-revolução (os bolcheviques tinham maioria no Comitê).

- Criação do "Proletkult" (Cultura Proletária), organização que defendia que a arte proletária só poderia ser realizada pelos proletários, rejeitando as manifestações artísticas do passado.

Outubro

- "Revolução de Outubro" ou "Bolchevique". Insurreição armada organizada pelos bolcheviques contra o governo; Trotsky à frente do Comitê Militar Revolucionário (trabalhadores, soldados e marinheiros armados tomam o Palácio de Inverno, onde estava instalado o Governo Provisório).

- Trotsky anuncia o fim do Governo Provisório; Kerensky escapa e vai para o exílio. Simultaneamente, é aberto o Segundo Congresso dos Sovietes (de 650 delegados, 390 eram bolcheviques). O próprio Congresso de Sovietes tornou-se a suprema instância do novo governo; as suas decisões deveriam ser executadas pelo Soviete dos Comissários do Povo, subordinado apenas ao Comitê Executivo Central do Congresso (cujos comissários exerciam papéis de ministros) e ao próprio Congresso. Lenine foi eleito presidente do Soviete dos Comissários do Povo; Trotsky e Stalin também se tornaram comissários desse Soviete.

- Em novembro, foram promulgados decretos sobre a paz, a terra (direito de propriedade privada da terra anulado para sempre; direito de todos os cidadãos cultivarem a terra), as nacionalidades (direito de auto-determinação, podendo-se separar da Rússia...) e o controle operário da produção. Os bolcheviques permitiram a eleição de uma assembleia constituinte, na qual não obtiveram maioria, e que acabaram por dissolver, em janeiro de 1918.

1918

- Março: Paz de Brest-Litovski. A Rússia cedeu os estados bálticos, a Finlândia, a Polônia e a Ucrânia.

- Maio/Junho: início da intervenção estrangeira e da guerra civil na Rússia. A guerra civil durou até 1920. De um lado estava o Exército vermelhocomposto por bolcheviques, defensores da revolução) e do outro o Exército Branco (todas as forças opostas à revolução). O Exército Vermelho vence a guerra. Durante a guerra civil, o Partido Bolchevique proibe a existência de facções e tendências internas.

- Julho: aprovação da primeira constituição da República Socialista, Federada e Soviética Russa. A família imperial do Czar é assassinada pelos bolcheviques

- No mesmo ano, é fundado o Departamento de Artes do Comissariado Popular para a Educação (que, de início, incorporou vários artistas de vanguarda).

1919

- Ruas e janelas são ocupadas pela arte gráfica política (ROSTAS), entre 1919 e 1921. Artistas como Malevich e Maiakóvsky estiveram directamente envolvidos.

- Dziga Vertov lança o manifesto "Nós", discutindo as relações entre palavra e imagem.

1920

- Agosto-outubro: encerramento da guerra com os "brancos" e da intervenção estrangeira.

1921

- Fevereiro: Insurreição de Kronstadt. O Soviete anarquista desta cidade faz uma série de exigências ao Governo bolchevique e recusa-se a participar no Exército Vermelho. Este esmaga a revolta. Mais tarde, Trotsky, comandante do Exército Vermelho na altura do esmagamento, considerou ter sido um erro.

- Março: adoção da Nova Política Económica (NEP), que procurava estimular a iniciativa privada e reactivar a economia.

- Em 1921, iniciam-se as purgas no partido bolchevique (preocupação com o perfil "moral" dos membros: expulsão dos arrivistas, alcoólatras, corruptos, etc.)

- Entre 1921 e 1922, o governo revolucionário toma medidas visando aumentar a produção no campo: substituição da política de requisições, no campo, por um imposto pago pelos camponeses in natura, ficando os mesmos camponeses livres para administrar o excedente da produção (estímulo ao comércio) - busca-se uma "aliança entre operários e camponeses"; estímulo aos investimentos estrangeiros. No período, estima-se que 5 milhões de pessoas tenham morrido de fome no interior das fronteiras do antigo Império Russo.

1922

- Formação da URSS (sua primeira constituição foi ratificada apenas em 1924, pouco depois da morte de Lenine).

- Stalin torna-se secretário-geral do Partido Comunista.

- É criada a Associação dos Artistas Revolucionários da Rússia, que defende o retorno ao figurativismo e a afirmação de uma espécie de realismo heróico que antecipa o "realismo socialista" oficialmente adotado nos anos 1930.

1923

- Maiakóvsky organiza o "Front de Esquerda das Artes", articulando Rodchenko, Stepanova, Lavinsky, Lyubov e Popova, entre outros. No mesmo ano, Maiakóvsky e Rodchenko abrem escritório de criação de produtos publicitários (embalagens, cartazes e demais impressos).

1924

- Morte de Lenine.

1925

- Trotsky é destituído do Comissariado de Guerra.

- Eisenstein filma "O Couraçado Potemkin".

1927

- Novembro: Trotsky é expulso do Partido Comunista (foi exilado no Casaquistão em 1928 e banido no ano seguinte. Assassinado no México em 1940, a mando de Stalin).

1928

- Queda da produção de grão e problemas na produção de matérias-primas industriais: setores do governo defendem medidas de emergência c(retornam temporariamente as "requisições", no campo, apoiadas nos destacamentos policiais).

- A NEP é abandonada: o Comitê Central decide implementar o primeiro "Plano Quinquenal" (que dará início à economia planeada). Stalin tentará transformar a URSS rapidamente de um país eminentemente agrário num país industrial e numa potência militar. Fim da idéia de "aliança" com os camponeses.

- "Processos das minas de Chakhty": um grupo de engenheiros é acusado de sabotagem (alguns são condenados e seis são fuzilados).

Fontes:

 http://www.geocities.com/oficinadehistoria/contempcronorevrussa.htm

 http://www.rainhadapaz.g12.br/projetos/geografia/geoem/urss/urss_04.htm

(...)

Resto dossier

Dossiê: Revolução de Outubro

Foi há 95 anos. A 25 de Outubro de 1917 segundo o calendário juliano ou a 7 de Novembro segundo o gregoriano, irrompia a Revolução Russa. Republicamos aqui o dossier que o esquerda.net elaborou sobre a Revolução de Outubro, em 2007.

Mulheres militantes na Revolução de Outubro

As mulheres que participaram na Grande Revolução de Outubro - quem eram elas? Indivíduos isolados? Não, havia multidões delas; dezenas, centenas e milhares de heroínas anónimas que, marchando lado a lado com os operários e camponeses sob a Bandeira Vermelha e a palavra de ordem dos Sovietes, passou por cima das ruínas do czarismo rumo a um novo futuro...

A Grande Revolução

A mistificação consiste em culpar a revolução de Outubro pelas desfigurações, erros e desvios que, em determinadas condições históricas, marcadas por uma constante pressão externa, uma série de conspirações e agressões internacionais, levaram à génese de um modelo que aprisionou as forças sociais e humanas libertadas pela revolução, contrariou em aspectos determinantes os princípios e o desenvolvimento da teoria revolucionária do marxismo-leninismo, violou a legalidade socialista e virou costas a princípios fundamentais do ideal comunista.

Como funcionavam os sovietes?

Até Fevereiro de 1918 não importava quem podia votar para eleger deputados aos Sovietes. Se a burguesia tivesse exigido e organizado a sua representação nos Sovietes, isto ter-lhe-ia sido permitido. Por exemplo, durante o regime do Governo provisório, houve uma representação burguesa no Soviete de Petrogrado: um delegado da União das profissões liberais, que incluía médicos, advogados, professores, etc.

Outubro 1917: na grande convulsão de 1914 a 1922

Com a queda do regime czarista e uma vez fracassado o parênteses democrático de Kerensky, o processo revolucionário acelera. É aí que o "poder dos sovietes" deverá confrontar-se "com o oceano camponês", como explica com fineza o historiador Moshe Lewin. Entretanto, espera-se o "aliado privilegiado": o proletariado europeu. Ou a aparição de crises revolucionárias noutros países. Neste contexto, o Estado é a única mediação que o "poder soviético" tem no seu vínculo com as massas operárias e camponesas. Aqui nasce o nó complexo das relações entre Partido-Estado-Sociedade.

O processo revolucionário, de Fevereiro a Outubro de 1917

Em Fevereiro de 1917 inicia-se a parte mais importante do processo revolucionário. O czar concede poder a um governo provisório, que no entanto não cumprirá as promessas de "Pão, Terra e Paz". A Rússia continua a participar na primeira guerra mundial, frustrando os anseios do povo e dos soldados. Daqui até à Revolução de Outubro, os bolcheviques vão crescer muito rapidamente, assegurando a maioria em alguns sovietes estratégicos. Transcrevemos aqui um texto de João Aguiar, publicado no blogue "As vinhas da Ira", que retrata bem este período crucial. 

As questões de Outubro

Se entendermos a revolução como um elo vindo de baixo para cima, aspirações profundas de um povo, e não a execução de algum plano mirabolante imaginado por uma elite esclarecida, não há nenhuma dúvida que a Revolução Russa foi uma, no sentido pleno da palavra. Basta notar as medidas legislativas tomadas nos primeiros meses e no primeiro ano pelo novo regime para compreender que elas significaram uma transformação radical das relações de propriedades e de poder, às vezes mais rápida do que o previsto e desejado, às vezes mesmo além do desejável, sob a pressão das circunstâncias.

A Rússia Czarista e o ensaio geral de 1905

No início do século XX, a Rússia contava com 176 milhões de habitantes, mais do que a soma das populações de Alemanha, França e Inglaterra. Era um país pobre e atrasado tecnologicamente, conhecido como o "celeiro" da Europa por apenas exportar cereais ao Velho Continente. 80% da sua população activa vivia no campo, em muita regiões nem sequer se conhecia o arado. Os camponeses viviam na miséria, trabalhavam a -25ºC, com roupas de pano e botas de papelão. Do outro lado, no Palácio de Inverno, os bailes com a realeza europeia, os uniformes de gala e as prendas luxuosas que o Czar Nicolau II oferecia à sua família sucediam-se constantemente.

A revolução no YouTube

No youtube é possível encontrar muitos pequenos vídeos sobre a Revolução de Outubro. O Esquerda.net seleccionou alguns, nomeadamente cenas do filme "Reds" (realizado em 1971 por Warren Beatty e cuja personagem principal é John Reed, jornalista americano que cobriu os acontecimentos da altura e se envolveu na luta revolucionária) e outros vídeos, feitos maioritariamente a partir de cenas dos filmes de Eisenstein. Não deixe também de ouvir algumas versões da música "A Internacional", em raggae, em charanga (estilo cubano) e em Punk-Rock (Garotos Podres)

A surpresa anunciada: a revolução de Outubro nos jornais portugueses

Quer pela sua natureza, quer pela sua relativa previsibilidade, os acontecimentos revolucionários de Outubro (Novembro no Ocidente), ocuparam um espaço mais reduzido nos títulos dos periódicos portugueses do que a deposição do Czar em Fevereiro. Por um lado, em Fevereiro, apesar de algumas dúvidas iniciais, os factos pareciam apontar para um reforço da posição dos Aliados, por outro, a surpresa de Outubro era apenas relativa, não constituindo um fenómeno absolutamente imprevisto.

Revolução de Outubro

Foi há 90 anos que operários, soldados e camponeses russos assaltaram o Palácio de Inverno para derrubar um regime que os oprimia com a guerra, a fome e a miséria. Para revisitar a época e pensá-la hoje, consulte o dossiê elaborado pelo Esquerda.net.  

A revolução russa passo a passo

A revolução de Outubro só foi possível depois de muitos esforços e sacrifícios da classe operária e dos camponeses, oprimidos e entregues à miséria durante o czarismo. A guerra foi sempre um elemento desencadeador de revoltas, tanto no ensaio geral de 1905 (durante a guerra Rússia-Japão) como na revolução de 1917 (participação da Rússia na primeira guerra mundial). O Esquerda.net apresenta aqui uma cronologia dos principais acontecimentos.