You are here

Transportes públicos paralisam em Atenas

Gregos protestam contra medidas de austeridade impostas pelo Governo. Trabalhadores dos transportes públicos iniciaram uma greve de 24 horas. Os bancários também convocaram uma greve parcial entre as 12h e as 15h locais e os trabalhadores do lixo começaram greve de 48h.
Medidas de austeridade impostas pelo governo grego têm despoletado manifestações e greves em vários sectores. Foto de karpidis.

A paralisação dos transportes públicos em Atenas causou inúmeros constrangimentos na manhã de quarta-feira. Segundo a agência EFE, nenhum veículo de transporte público, incluindo o que liga a cidade ao Aeroporto Internacional de Atenas, circula desde as 5h locais (3h em Lisboa). A greve afectou o metro, autocarros, eléctricos e também o serviço ferroviário, só não se fazendo sentir no transporte aéreo e fluvial.

As medidas de austeridade implementadas pelo governo grego para reduzir o défice público, exigidas como contrapartida do pacote de 110 bilhões de euros do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeia (UE), entre as quais as profundas reformas estruturais nos organismos estatais e semi-estatais, têm suscitado inúmeras contestações em diversos sectores.

O governo grego prevê reduzir em cerca de 40 por cento os rendimentos dos trabalhadores em empresas estatais e em cima da mesa está também a transferência e, inclusive, o despedimento, de milhares de trabalhadores.

Os trabalhadores do lixo de Atenas também marcaram uma greve de 48 horas a partir desta quarta-feira, devido às políticas de contratação da prefeitura. Os trabalhadores do banco estatal ATEBank também convocaram uma greve parcial entre as 12h e as 15h locais desta quarta-feira, em protesto contra as reformas que devem afectar a instituição. 

Termos relacionados Internacional
(...)