You are here

Número de desempregados sem protecção social continua a aumentar

Em outubro, 42,5% dos 550.846 desempregados inscritos nos centros de emprego não recebiam qualquer prestação. Se for tido em conta o número de desempregados avançado pelo INE - 609,4 mil, esta percentagem ascende a mais de 48%.
Existem, actualmente, pelo menos 292,705 mil desempregados sem qualquer tipo de protecção social. Foto de Paulete Matos.

Em outubro, segundo dados divulgados pelo Instituto de Segurança Social, apenas cerca de 316.695 pessoas tinham acesso a uma prestação de desemprego, entre as quais o subsídio social de desemprego, que assegura um mínimo de sobrevivência. Esta é a pior taxa de cobertura desde, pelo menos, 2005.

Caso sejam tidos em conta os 609,4 mil desempregados estimados pelo Instituto Nacional de Estatística no terceiro de trimestre de 2010, verificamos que existem 292,705 mil desempregados sem qualquer tipo de protecção social.

Tendo em conta o já anunciado aumento exponencial da taxa de desemprego para o próximo ano e o impacto das medidas de austeridade impostas pelo governo socialista, entre as quais a eliminação das medidas extraordinárias que previam aredução do prazo de garantia para a atribuição do subsídio de desemprego, a prorrogação por um período de seis meses da atribuição de subsídio social de desemprego, e a majoração do subsídio de desemprego a desempregados com filhos a cargo, e também a alteração das regras de acesso ao subsídio social de desemprego, esta realidade tenderá a agudizar-se.

Em 2011, os milhares de desempregados que não encontram colocação no mercado de trabalho e que, por outro lado, são excluídos de qualquer tipo de protecção social, engrossarão, com toda a certeza, as estatísticas da pobreza em Portugal.

Termos relacionados Sociedade
(...)