You are here

Índia: número 2 em emigrantes

País encontra-se em segundo lugar no ranking dos países com mais emigrantes, perdendo apenas para o México. A remessa desses desterrados corresponde hoje a 55 mil milhões de dólares.
Foto de Attila con la cámara

Desde a sua origem, os homens têm deambulado pelo planeta. Nos seus primórdios, por questões como falta de alimento, causas naturais ou aumento populacional. A investigação e as teorias para explicar essa evolução continuam, com os recursos tecnológicos permitindo chegar a novas conclusões.

Mas, nos marcos do mundo globalizado, 215 milhões de emigrantes estão a deambular pelo planeta e a gerar uma remessa que, segundo o Banco Mundial, atingiu em 2010 440 mil milhões de dólares. A maioria das pessoas, se perguntadas, provavelmente irão responder que querem ter uma vida tranquila no seu país de origem, mas, a falta de perspectivas na sua terra natal tem levado nada menos que 215 milhões de pessoas a ter de optar a viver e enfrentar duras circunstâncias em novos países, nem sempre de maneira prazenteira.

É uma longa e importante discussão, já que uma parte desses imigrantes são pessoas de alta formação educacional e que custaram um significativo investimento público nos seus respectivos países. No caso da Índia, os engenheiros e profissionais de IT há anos têm sido disputados pelos principais países imperialistas. Mas a contrapartida são os imigrantes de países pobres que têm de se separar da família para enfrentar trabalhos duros, como o da construção civil nos países árabes, ou o escândalo recente das milhares de Filipinas que, ao irem trabalhar como empregadas domésticas em países árabes, além dos maus tratos e condição de semi-escravidão a que são submetidas, também têm sido alvo de violações pelos seus empregadores.

A Índia encontra-se hoje em segundo lugar no ranking dos países com mais emigrantes, perdendo apenas para o México, com 10.355.800 pessoas fora do pais. É como se todo o Portugal fosse trabalhar noutros países. A remessa desses desterrados indianos corresponde hoje a 55 mil milhões de dólares, sendo um dos maiores montantes de remessas internacionais, seguido pelos chineses, que enviam cerca de 51 mil milhões de dólares.

A soma desses dois grupos de emigrantes representa cerca de um quarto das remessas internacionais. Apesar de enviarem emigrantes para fora, esses dois países também recebem imigrantes de outros países mais pobres. Na Índia, esse número atinge 5,4 milhões de pessoas, como por exemplo nacionais do Nepal, cuja economia está estrangulada. Ou no caso da China, imigrantes vietnamitas que se têm dirigido ao gigante asiático para trabalhar como ilegais no campo. Estes são alguns resultados, entre outros, do que se chama globalização.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)