You are here

União Europeia = FMI

Soube-se hoje que a União Europeia vai utilizar as mesmas regras do FMI para “castigar” os países que recorram à ajuda do Fundo Europeu.

No caso da Irlanda, tal significará mais austeridade e no caso português mais austeridade e “reformas” na legislação laboral. E o que significam neste contexto tais “reformas”? Agora a resposta é nossa: revisão do conceito de “justa causa” e em geral maior facilidade para despedir, celebrar contrários precários e intensificar o tempo de trabalho. Em suma, nada que signifique aposta na inovação, na diversificação produtiva, na investigação e desenvolvimento, no registo de novas patentes ou na qualificação da população activa e do tecido empresarial. Apenas mais receitas para…o desastre. Estamos mal e iremos ficar pior, como de resto prevê a Comissão Europeia nas suas estimativas.

Esta lógica masoquista serve os interesses do capital financeiro em geral e dos países centrais, como a Alemanha, em particular. Trata-se de tornar ainda mais pobres e periféricos os países já pobres e periféricos (como Portugal) acenando com a única vantagem comparativa que conhecem: os baixos salários.

E o Governo português, perante este ataque, clama por uma radical mudança de orientação económica na União Europeia? Não…apressa-se a cumprir as ordens, com uma vassalagem deplorável, convocando os parceiros sociais para “aperfeiçoar o sistema laboral”. Ora, nós sabemos bem o que significa “aperfeiçoar” no léxico deste Governo.

Depois da maior greve geral da história portuguesa, é esta a resposta do Governo aos trabalhadores. Está-se mesmo a ver a resposta que os portugueses precisam de dar a este Governo!

Sobre o/a autor(a)

Sociólogo, professor universitário, Presidente da Associação Portuguesa de Sociologia. Dirigente do Bloco de Esquerda.
Termos relacionados FMI
(...)