You are here

Trabalhadores da Selenis dirigem-se ao Ministério da Economia

São 79 trabalhadores de uma empresa que presta serviços indispensáveis a todo o Parque Industrial de Portalegre e que corre o risco de fechar.

Os 79 trabalhadores da empresa Selenis Serviços, de Portalegre, dirigiram ao Ministro da Economia uma carta em que pedem a rápida intervenção do governo face à grave situação de emergência social que a empresa vive, com repercussões em todas as unidades do Parque Industrial de Portalegre.

A Selenis, situada no Parque Industrial de Portalegre, tem como clientes outras cinco empresas do mesmo parque, a quem fornece uma variedade de serviços, que vão da Manutenção Mecânica aos Serviços de Recursos Humanos; dos serviços de Qualidade e Ambiente aos de Segurança e Saúde no Trabalho e de Sistemas de Informação

Assim, a estrutura produtiva de todas as unidades do Parque Industrial está fortemente dependente da estrutura produtiva da Selennis Serviços e não se basta apenas com os seus postos de trabalho internos e directos.

A crise económica tem afectado os seus clientes, que vêm atrasando os pagamentos, o que coloca sob grande pressão a sua tesouraria. Duas das empresas clientes cessaram mesmo os pagamentos desde 2009.

Mais recentemente, a Artenius Portugal, S.A., accionista a 50% da Sociedade e também um dos seus principais clientes, representando quase 40% dos seus proveitos operacionais, decidiu, desde Setembro de 2010, suspender de forma inesperada os pagamentos, “comprometendo incontornavelmente a situação de tesouraria da Sociedade e conduzindo inexoravelmente à sua ruptura.”

Assim, a manter-se a situação actual, os trabalhadores não irão receber nem o salário nem o subsídio de Natal.

Na carta, os trabalhadores pedem a intervenção do governo para “iniciar os contactos urgentes com os dois accionistas desta sociedade, bem como com os (conhecidos) potenciais interessados em encontrar uma solução integrada para o nosso Parque Industrial.”

Pedem igualmente que o Ministério da Economia receba uma delegação de representantes dos trabalhadores “no sentido de pessoalmente vos explicar a nossa dramática situação actual”.

Requerimento do Bloco

Entretanto, o Bloco de Esquerda dirigiu um requerimento ao Ministério da Economia em que questiona que acompanhamento tem o governo feito e que medidas pretende tomar, quais as medidas que o governo pretende assumir no sentido de viabilizar a empresa e a totalidade dos postos de trabalho, quais foram os investimentos estatais e europeus neste grupo e quais as condições a que o grupo se comprometeu aquando desses investimentos, E, finalmente, que relação tem a Caixa Geral de Depósitos com o Fundo de Investimento Júpiter, qual o seu relacionamento económico com a La Seda (Barcelona) e qual a sua política para este sector.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)