You are here

O G-20 e a "guerra cambial"

Nos dias 11 e 12 de Novembro reúne-se em Seul a cimeira do G20, num contexto de crise internacional e de acérrimas disputas em torno do que já se chama de “guerra cambial”, ou “guerra mundial financeira”. A cimeira dos ministros das Finanças, realizada em Outubro, pouco contribuiu para a resolução da disputa.
Foto de stuff and nonsense, FlickR

Agora, que se reúnem os chefes de Estado dos 20 países, as perspectivas não são melhores. A recente decisão da administração Obama de comprar 600 mil milhões de dólares dos seus próprios títulos de dívida, que vai provocar novas desvalorização do dólar e incentivar as suas exportações, suscitou críticas generalizadas da Alemanha, China e Brasil.

O ainda presidente Lula, do Brasil, disse que vai a Seul “para brigar”.

A China, por seu lado, está sob pressão para valorizar a sua moeda, o yuan, mas recusa-se a fazê-lo. O Brasil, que tem visto o real valorizar-se sucessivamente, tenta controlar a entrada de capital especulativo no país aumentando os impostos sobre operações financeiras.

Por trás deste intrincado jogo de relações monetárias e comerciais, está a crise da potência hegemónica e a crise económica internacional, que está longe de terminada. Neste dossier, reunimos um conjunto de artigos que tentam dar contributos para este complexo tema.

Comentários (1)

Resto dossier

O G-20 e a "guerra cambial"

Nos dias 11 e 12 de Novembro reúne-se em Seul a cimeira do G20, num momento de crise internacional e de acérrimas disputas em torno do que já se chama de “guerra cambial”. A cimeira dos ministros das Finanças, realizada em Outubro, pouco contribuiu para a resolução da disputa.

G20 de Seul: Viva o mercado livre!

A reafirmação do fundamentalismo de mercado confirma a incapacidade do G20 para tirar lições do colapso financeiro de 2008 e torna provável uma nova crise a curto ou médio prazo. Texto de ATTAC-França.

A Guerra Mundial Financeira

Vivemos o colapso do sistema de relações monetárias e comerciais multilaterais vigente. Por Fernando Moreno Bernal, da ATTAC Andaluzia

Guerra cambial: uma disputa entre gigantes

A guerra cambial não está apenas relacionada com o câmbio, mas também com as relações económicas internacionais que não estão resolvidas, alerta o economista brasileiro Guilherme Delgado. Para ele, a ideia de que a crise internacional terminou é falsa. Por Patrícia Fachin, do site IHU online

Na Coreia, o G-20 demonstra a sua inoperância

Que aconteceu aos compromissos políticos de transparência, de regulação e de supervisão financeiras? Há uma deriva para a irrelevância desta instituição enquanto “primeiro fórum mundial de cooperação”. Por Juan Vigueras, Conselho Científico da ATTAC Espanha

Alemanha, China e Brasil criticam política dos EUA

Presidente do Federal Reserve dos EUA colhe críticas devido a injecção de dinheiro na economia. Para ministro brasileiro, é "dinheiro que cai de helicóptero". Já ministro alemão adverte que medida criaria mais problemas. Da Deutsche Welle.

Movimentos sociais apelam à realização de protestos

É preciso parar a agenda e o processo não democrático do G20 e construir, a partir de abaixo, alternativas social e ecologicamente sustentáveis e democráticas.

Aumenta o tom e a artilharia pesada na 'guerra de divisas'

O sistema financeiro transformou-se no calcanhar de Aquiles da economia mundial e encaminha-se para a sua queda. Por Marco Antonio Moreno.

O ABC do G-20

Quando foi criado o G-20? Que nações o compõem? Qual o seu peso na economia mundial? Quando ocorrem as reuniões e que se discute?

Entenda o que está em causa com a “guerra cambial”

Os Estados Unidos provocaram a desvalorização forte do dólar e inundaram o mundo com a sua moeda para cobrir os rombos dos seus défices. A lógica dessa movimentação tem por detrás o poder e os interesses do mercado financeiro. Extracto da análise do site IHU Online