You are here

Hiper...Ganância

Na grande maioria dos países europeus, a começar pela Espanha e França, todo o comércio está encerrado aos domingos.

A 1ª República, aprovou a Lei do Descanso Semanal Obrigatório. Nesta 2º República, um Governo PS cede descaradamente perante a ganância dos grandes grupos detentores de hipermercados, permitindo a abertura aos domingos. O capitalismo do século XIX regressa em força...

Na grande maioria dos países europeus, a começar pela Espanha e França, todo o comércio está encerrado aos domingos.

Por aí pensa-se que os trabalhadores do comércio são pessoas, com direito a uma vida familiar e que o domingo é um excelente dia para o desporto, o contacto com a natureza, o turismo, a cultura e o lazer.

Neste cantinho, onde o consumo chegou tarde, dominam os fundamentalistas do consumismo. O domingo é para passar nos hipermercados e centros comerciais...

A barragem de propaganda na comunicação social em favor do grande comércio ( também um grande anunciante ), cala verdades fundamentais sobre este tema.

Na verdade, a liberalização dos horários das grandes superfícies vai gerar mais uma vaga de encerramentos de milhares de estabelecimentos de comércio independente.

O alargamento dos horários ao domingo não se traduz no aumento do emprego mas apenas numa nova gestão dos recursos humanos com transferência de pessoal de períodos com menor fluxo de clientes para os novos horários de abertura.

Esta liberalização tem profundas implicações nos padrões de consumo e nas quotas de mercado dos diferentes formatos de comércio, com forte penalização do comércio independente

Não é pela liberalização dos horários, em particular para as grandes superfícies, que se cria mais emprego.

Em contrapartida, a destruição das micro e pequenas empresas do comércio, espinha dorsal do sector e da economia nacional, leva ao aumento do desemprego, acelera a desertificação dos centros das cidades e cria dificuldades ao turismo.

Sobre o/a autor(a)

Professor e historiador.
(...)