You are here

Tenham vergonha e retirem a propaganda do Ano Europeu de Combate à Pobreza

Teixeira dos Santos e todo o Governo deviam pintar a cara de preto e assumir que o combate à pobreza não é uma prioridade sua.

Os jornais do fim-de-semana são unânimes: quem vai pagar a maior fatia do défice são os trabalhadores e trabalhadoras e os mais pobres. Façam-se todas as simulações possíveis e verifica-se que o aumento dos impostos, o congelamento dos salários, o aumento da inflação, o aumento generalizado dos bens de consumo vão atingir as famílias que hoje já vivem com imensas dificuldades para pagar a casa, as contas mensais, os estudos dos filhos e filhas, os medicamentos dos mais idosos. Aos muito ricos apenas lhe é pedido uma parte ínfima para o “grande esforço nacional” que o Governo proclama.

Teixeira dos Santos não convence. Nem a ameaça e chantagem de que o FMI vem aí e as medidas serão mais drásticas. O Governo podia seguir outro caminho, mas não quer. As alternativas existem e vão ser demonstradas ao longo do debate sobre o Orçamento de Estado. Quero ver o Governo, o PS, o PSD e o CDS a negar cada uma delas.

Hoje, 17 de Outubro, é o Dia Mundial pela Erradicação da Pobreza. Erradicação é a palavra, não é diminuição, contenção ou mesmo diminuir a severidade com que a pobreza atinge milhões e milhões de pessoas – homens, mulheres e crianças. A palavra é ERRADICAÇÃO. E assim devia ser. Mas há muito que esta palavra saiu do vocabulário dos governantes portugueses e europeus. Agora fala-se em acautelar apoios para os mais carenciados…

É a desistência mais descarada, é ficar de joelhos perante a tal entidade abstracta e omnipresente dos mercados financeiros. Que se lixem os mais pobres, que se lixe o RSI, que importa que não tenham acesso à água, à alimentação – não é possível erradicar a pobreza, mas não se pode colocar em causa a estabilidade sistémica dos mercados financeiros…

E aqui, no nosso país, haveria melhor maneira para fechar o Ano Europeu de Combate à Pobreza e à Exclusão Social que destruir todas as políticas sociais públicas?

Teixeira dos Santos e todo o Governo deviam pintar a cara de preto e assumir que o combate à pobreza não é uma prioridade sua.

O Ano Europeu de Combate à Pobreza e à Exclusão Social não passou pela Europa. O que aconteceu, neste Continente, foram as medidas concertadas para aumentar o desemprego e a pobreza.

Por isso tenham vergonha e retirem a propaganda!

Artigo publicado no Domingo, 17 de Outubro de 2010, no facebook

Sobre o/a autor(a)

Dirigente do Bloco de Esquerda. Vereadora da Câmara de Torres Novas. Animadora social.
(...)