You are here

Trabalhadores de 30 países concentram-se em Bruxelas

Manifestação convocada pela Confederação Europeia de Sindicatos será provavelmente a maior de âmbito continental algumas vez realizada.
A rejeição das políticas de austeridade e a substituição por medidas de criação de emprego e crescimento económico são as motivações principais citadas nos apelos.

 

Em Bruxelas são esperados cerca de 100 mil trabalhadores de toda a Europa para a grande manifestação de quarta-feira, provavelmente a maior de âmbito continental algumas vez realizada. A rejeição das políticas de austeridade e a substituição por medidas de criação de emprego e crescimento económico são as motivações principais citadas nos apelos lançados pelas cerca de 50 centrais sindicais de 30 países que promovem a manifestação na capital belga sob a égide da Confederação Europeia de Sindicatos.

John Monks, secretário geral desta Confederação, salienta que as manifestações farão eco “das nossas preocupações em relação ao contexto económico e social traduzido nas medidas de austeridade. Estamos particularmente alarmados”, acrescentou, “com o desemprego e o crescimento das desigualdades. O crescimento da precariedade deve dar lugar a emprego de qualidade. Esta é a mensagem que depois da manifestação pretendemos transmitir ao presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso e ao presidente em exercício do Conselho, o sr. Leterme”.

As delegações presentes na manifestação de Bruxelas serão oriundas da Bélgica, França, Alemanha, Luxemburgo, Áustria, Finlândia, Grécia, Hungria, Polónia, Portugal, Roménia e outros, num total de 30 países.

Termos relacionados Jornadas de Luta
(...)