You are here

Índia: governo já assassinou 43 pessoas desde Junho

Desde 11 de Junho, quando começou a actual crise de Caxemira, as tropas governamentais do primeiro-ministro Singh já mataram 43 pessoas. Por Tomi Mori, de Tóquio para o Esquerda.net.
Desde 11 de Junho, a população de Caxemira tem-se levantado para protestar contra a morte de jovens por tropas paramilitares do governo.

A Índia é considerada a maior democracia do planeta, devido ao tamanho da sua população, que ocupa o segundo lugar no ranking mundial, a seguir à China.

Mas que democracia é esta onde as tropas de Singh já mataram 43 dos seus cidadãos em apenas três meses?

Desde 11 de Junho, a população de Caxemira tem-se levantado para protestar contra a morte de jovens por tropas paramilitares do governo. Após as primeiras mortes, a população mobilizou-se em inúmeros protestos. Em cada protesto, o governo matou mais manifestantes, impôs o recolher obrigatório e enviou milhares de soldados para a região, transformando Caxemira num palco de guerra e opressão. 

A cada morte, a população levantou-se contra as ordens do governo, contra os toques de recolher, saindo as ruas para defender e reverenciar seus mortos. O governo respondeu com mais mortes e esta terça-feira as tropas governamentais usaram megafones para intimidar a população e dizendo que iram executar, no local, quem desafiasse o recolher obrigatório.

Na terça-feira, novos protestos eclodiram em Srinigar e as tropas governamentais mataram mais quatro pessoas, elevando o numero de executados a queima-roupa para 43, numa batalha desigual contra um povo desarmado. 

Termos relacionados Internacional
(...)