You are here

Cambodja: apenas 35 anos de prisão para “Duch”

Kaing Guek Eav, comandante da prisão S-21, onde cerca de 14.000 pessoas sofreram todo o tipo de padecimentos, recebeu uma pena que os grupos de defesa de direitos civis e familiares das vítimas consideram leve. Por Tomi Mori, de Tóquio para o Esquuerda.net
Kaing Guek Eav, ex-professor de matemática, com 67 anos agora, foi um dos responsáveis por uma das maiores barbaridades cometidas no pós-guerra.

Foi condenado nesta segunda-feira, por um tribunal promovido pelas Nações Unidas, Kaing Guek Eav, conhecido como camarada “Duch”, a 35 anos de prisão.

Kaing Guek Eav foi o comandante da prisão S-21, onde cerca de 14.000 pessoas sofreram todo o tipo de padecimentos. Tortura, morte , abusos de todo tipo até serem enviados para os famosos “campos de extermínio” do Khmer Vermelho.

Kaing Guek Eav, ex-professor de matemática, com 67 anos agora, recebeu uma pena que os grupos de defesa de direitos civis e familiares das vítimas consideram leve, já que foi um dos responsáveis por uma das maiores barbaridades cometidas no pós-guerra. No total, terá de cumprir apenas mais 19 anos de prisão, já que o tribunal levou em conta o período que já esteve preso e também em que esteve detido ilegalmente pelos militares.

Estima-se que durante o período entre 1975 a 1979, cerca de dois milhões foram mortos pelo Khmer Vermelho, liderado por Pol Pot.

Milhões de cambojanos esperavam que a pena para Kaing Guek Eav fosse a prisão perpétua.

Termos relacionados Internacional
(...)