You are here

Um Planeta, uma Internet: Um apelo à comunidade internacional para lutar contra a vigilância em massa

No dia 11 de fevereiro, o mundo exigirá o fim da vigilância em massa em todos os países, deixando de lado as fronteiras geográficas ou políticas. Os protestos contra o SOPA e a ACTA foram vitoriosos porque todos participámos neles, como uma comunidade. Como disse Aaron Swartz, “fomos heróis da nossa própria história .” Por Katitza Rodriguez
A NSA e os seus aliados construíram uma infra-estrutura de vigilância global para “apoderar-se da Internet” e espiar as comunicações do mundo.

As revelações de Snowden confirmaram o nosso maior medo a respeito da espionagem digital. Elas trouxeram a público que a NSA e os seus aliados construíram uma infra-estrutura de vigilância global para “apoderar-se da Internet” e espiar as comunicações do mundo. Estes sombrios grupos minaram os padrões básicos da criptografia e encontraram forma de inundar a infra-estrutura básica da Internet de equipamentos de vigilância. Recolhem os registos telefónicos de centenas de milhões de pessoas, nenhuma das quais é suspeita de ter cometido algum crime. Recolheram as comunicações eletrónicas de milhões de pessoas nos EUA e no estrangeiro de maneira indiscriminada, explorando as tecnologias digitais que usamos para nos ligarmos e nos informarmos. Espiam a população dos países aliados e partilham a informação obtida com outras organizações, fora dos marcos legais.

Não vamos deixar que a NSA e os seus aliados arruínem a Internet. Inspirada na memória de Aaron Swartz, motivada pela vitória sobre o SOPA e a ACTA, a comunidade global de direitos digitais está a unir-se para se defender.

No dia 11 de fevereiro, no marco do The Day We Fight Back (o dia em que nos revoltamos, ou o dia do contra-ataque), o mundo exigirá o fim da vigilância em massa em todos os países; para todos os Estados, deixando de lado as fronteiras geográficas ou políticas. Os protestos contra o SOPA e a ACTA foram vitoriosos porque todos participámos neles, como uma comunidade. Como disse Aaron Swartz, “fomos heróis da nossa própria história .”

Podemos marcar uma data, mas precisamos de todos, todos os utentes da Internet Global, para converter isto num movimento.

Aqui está uma parte do nosso plano (mas é só o princípio). No ano passado, antes de Ed Snowden falar ao mundo, ativistas digitais uniram-se na campanha dos 13 Princípios. Os Princípios consideram que a vigilância em massa é uma violação dos direitos humanos, e dá a legisladores e juízes uma lista de medidas que poderiam ser implementadas contra os espiões da Internet. No dia do contra-ataque, queremos que o mundo subscreva estes princípios. Queremos que os políticos se comprometam a defendê-los. Queremos que o mundo saiba que nos importamos.

Eis como podes participar:

Visita TheDayWeFightBack.org e participa das atividades

Junta-te aos cidadãos globais e assina os 13 Princípios Necessários e Proporcionais aqui.

Usa as redes sociais para anunciar a tua participação.

Desenvolve, ferramentas, sites e tudo o que puderes para incentivar a participação de outros.

Sê criativo: planeia as tuas próprias ações e compromete-te. Vai às ruas, promove os Princípios no teu país. Depois, informa-nos do teu plano para linká-lo e retransmitir a tua participação.

Os organizadores de Day We Fight Back são:

Demand Progress

Access

EFF

Internet Taskforce

FFTF

Free Press

Mozilla

Reddit

ThoughtWorks

BoingBoing

Os organizadores do centro de ação internacional são:

Amnesty International USA

Access (International)

Artigo 19 - Brasil

Associação pelos Direitos Civis (Argentina)

Asociacion de Internautas - Spain (Espanha)

Associação Colombiana de Utentes de Internet (Colômbia)

Bolo Bhi (Paquistão)

CCC (Alemanha)

ContingenteMX (México)

CIPPIC (Canadá)

Digitale Gesellschaft (Alemanha)

Digital Courage (Alemanha)

Electronic Frontier Foundation (International)

Electronic Frontiers Austrália (Austrália)

Hiperderecho (Peru)

ICT Consumers Association of Kenya

Escritório Antivigilância (Brasil)

Open Rights Group (UK)

OpenMedia.org (Canadá/International)

OpenNet Korea (Coreia do Sul)

Panoptykon Foundation (Polónia)

Privacy International (International)

PEN International (International)

TEDIC (Paraguai)

Movimento Mega (Brasil),

RedPaTodos (Colômbia)

ShareDefense (Balcãs)

Unwanted Witness (Uganda)

Os espiões da Internet têm passado muito tempo a escutar os nossos mais íntimos pensamentos e medos. Agora é tempo de que nos ouçam a sério. Se partilhas o nosso descontentamento, partilha os Princípios e defende-te.

Tradução de Luis Leiria para o Esquerda.net

(...)

Resto dossier

Internet reage à vigilância dos Estados Unidos

No dia 11 de fevereiro, vai ocorrer na Internet uma jornada de contra-ataque à vigilância em massa exercida sobre a rede mundial pelos espiões da NSA dos Estados Unidos. O Esquerda.net associa-se ao movimento com este dossier, coordenado por Luis Leiria, onde podem ser encontrados os apelos e links da jornada de luta e outros artigos que ajudam o cibernauta a defender a sua privacidade.

Um Planeta, uma Internet: Um apelo à comunidade internacional para lutar contra a vigilância em massa

No dia 11 de fevereiro, o mundo exigirá o fim da vigilância em massa em todos os países, deixando de lado as fronteiras geográficas ou políticas. Os protestos contra o SOPA e a ACTA foram vitoriosos porque todos participámos neles, como uma comunidade. Como disse Aaron Swartz, “fomos heróis da nossa própria história .”  Por Katitza Rodriguez

Conselhos para defender a privacidade na Net

Eis uma lista de recomendações para exercer o direito à privacidade na net. Das mais simples às mais complexas, segue-se uma lista de procedimentos e ferramentas para obter proteção dos bisbilhoteiros da NSA. Mas atenção: defender-se dos espiões dá muito trabalho.

11 de fevereiro: o dia em que nos revoltamos contra a espionagem em massa da NSA

Coligação de ativistas evoca os protestos que levaram à suspensão de leis restritivas, como o SOPA e o PIPA, e convoca um dia de luta contra a prática de espionagem massiva dos cidadãos de todo o mundo e em defesa da liberdade na Internet.

Petição a favor de que o Brasil dê asilo a Snowden já tem quase 1 milhão de assinaturas

Dirigida à presidente e ao ministro da Justiça do Brasil, petição considera que o país “é o lar perfeito para um homem que sacrificou sua vida para divulgar a invasiva e ilegal espionagem dos EUA”.

Medidas de Obama para limitar a NSA são “relações públicas”, denunciam ativistas

Reforma anunciada sexta-feira pouco ou nada limita a espionagem em massa levada a cabo pela Agência de Segurança Nacional dos EUA, dizem as organizações de direitos civis. Empresas como Google ou Microsoft também não ficaram contentes com o discurso de Obama.

Glenn Greenwald: espionagem dos EUA pouco tem a ver com terrorismo

Em entrevista à Carta Maior, o jornalista Glenn Greenwald fala sobre o seu trabalho de divulgar as práticas de espionagem dos EUA e garante que, apesar das ameaças, vai publicar todos os documentos que tem em seu poder. Por Eduardo Febbro.

Veja como a NSA acede ao seu Gmail

Procuramos explicar de maneira simples como funcionam os dois programas do governo dos Estados Unidos que recolhem os nossos dados na Internet. Por Alberto SiciliaPrincipia Marsupia.

“New York Times” diz que Snowden prestou um grande serviço aos EUA

Direção editorial do influente jornal defende que Obama deveria oferecer ao ex-agente da CIA um perdão ou alguma forma de clemência que lhe permita regressar a casa.