You are here

Sá Fernandes: Lisboetas exigem um corte com o passado

Declaração de Sá Fernandes - Foto de Paulete MatosSá Fernandes, falando pouco depois do encerramento das urnas, declarou que "a derrota da anterior maioria e dos partidários das direitas encerra um capítulo muito triste na história da cidade", salientou que "os lisboetas exigem uma nova política para a Câmara", criticou os que "dizem que agora é o tempo de negociações penumbrosas" e reafirmou que com ele "sabem com o que contam": "Clareza e compromisso com a coragem para soluções para a cidade". O vereador independente reeleito pelo Bloco de Esquerda reafirmou ainda os seus seis compromissos eleitorais e disse: "contem comigo para vencer a corrupção e impor a auditoria a todos os negócios da Bragaparques e a anulação do negócio do Parque Mayer". 
Aceda à declaração completa de José Sá Fernandes

As eleições intercalares para a Câmara Municipal de Lisboa foram ganhas pelo Partido Socialista, sendo António Costa o novo presidente da autarquia. A vereação ficou composta por seis eleitos pelo PS, três pela lista de Carmona Rodrigues, três pelo PSD, dois pela lista de Helena Roseta, dois pelo PCP e José Sá Fernandes, candidato independente, eleito pelo Bloco de Esquerda. O CDS-PP, como todas as sondagens previam, não elegeu nenhum vereador.

Francisco Louçã, intervindo posteriormente ao vereador independente eleito pelo BE, declarou que estas eleições constituem o "fim de um ciclo" e um "terramoto para as direitas", sublinhou a batalha de Sá Fernandes pela transparência e salientou que estas eleições colocam o desafio de uma nova política para as cidades.

Termos relacionados Política