You are here

PS foi apanhado em flagrante, diz Sá Fernandes

docapescaO candidato independente apoiado pelo Bloco de Esquerda à Câmara Municipal de Lisboa, José Sá Fernandes, criticou o convite, feito pelo governo, a José Júdice, actual mandatário da candidatura de António Costa, para coordenar a reabilitação da frente Tejo da cidade de Lisboa. Segundo o Diário de Notícias, o ex-bastonário da Ordem dos Advogados só adiou a resposta positiva por estar a decorrer a campanha eleitoral. Para Sá Fernandes, "já se sabia que o PS não faz o que diz nas campanhas eleitorais, mas felizmente agora foi apanhado em flagrante. A sua ideia para a frente ribeirinha é vendê-la aos interesses imobiliários, ao contrário do que tem vindo a assegurar."

Sá Fernandes recorda que tem procurado obter resposta de António Costa sobre uma eventual urbanização na zona da Docapesca. Em resposta, este tem vindo a assegurar que rejeita novas construções no local. Diante do convite a Júdice, Sá Fernandes afirma que "a lista de António Costa configura o que parece ser uma 'task-force' do Governo para encher de betão a frente ribeirinha, com Júdice, Salgado e companhia. E tudo indica que a política de Carmona é para ser continuada com o candidato Costa, o apoio activo do Governo Sócrates e o suporte legislativo da maioria absoluta do PS."

À TSF, o candidato do PS preferiu não falar do caso, dizendo que este não é um tema de campanha. «Isso não tem a ver com as eleições. O que tem a ver com as eleições é o estado de desleixo e desmazelo em que a cidade se encontra», disse António Costa.

O convite a Júdice para coordenar a reabilitação da frente ribeirinha foi igualmente criticada por outros candidatos à Câmara. Fernando Negrão, do PSD, considerou pouco ética esta acumulação de funções por parte do mandatário da campanha do PS e disse haver uma coincidência muito estranha.

Helena Roseta disse que Júdice está numa situação de incompatibilidade, e acusou António Costa de ter ocultado este convite que, em seu entender, esteve na base da escolha do advogado para mandatário da campanha socialista. "Afinal, o Governo já tinha decidido, já tinha convidado uma pessoa, já tem um modelo de gestão e nada nos é dito. Não está certo, é falta de transparência", protestou a ex-militante socialista.

O candidato do CDS, Telmo Correia, disse estarmos perante mais um tique da arrogância socialista e acusou a equipa de António Costa de ser uma coligação de cargos.

Ruben de Carvalho disse que não conhecia os dotes do advogado para estes assuntos. "Desconhecia por completo estes talentos náuticos de Miguel Júdice", afirmou.

Termos relacionados Política