Progressões na carreira congeladas até 2009

24 de May 2007 - 10:42
PARTILHAR

congelamento_carreiras_2O Governo continua a impedir a progressão na carreira dos funcionários públicos, anunciada agora apenas para 2009. Em 2005 o Governo anunciou que 2006 seria o ano do descongelamento das progressões na carreira. No final de 2006, Teixeira dos Santos estendeu a data do descongelamento para 2008, e eis que agora o Governo arrasta tudo para 2009. E mesmo em 2009, só 5% dos trabalhadores (os que tenham classificação "excelente") podem progredir na carreira, sendo que a grande maioria terá que esperar por 2011.




Para justificar mais este adiamento lesivo para centenas de milhares de trabalhadores, o Governo argumenta que o processo de revisão das carreiras demorou muito mais do que o que era esperado. Mas a verdade é que essa espera implica uma poupança para o Estado de cerca de 400 milhões de euros anuais. Segundo um exemplo dado pelo Diário de Notícias, para um técnico superior que esteja no penúltimo escalão remuneratório, esta suspensão representa quase 230 euros mensais. Para um enfermeiro graduado, 143 euros e, para um técnico especialista, 97 euros.



Mesmo em 2009, só os trabalhadores que obtenham classificação de "excelente" poderão subir na carreira. E estes não podem ser mais do que 5% em cada serviço, e ainda dependem da disponibilidade orçamental desse mesmo serviço. Para 20%, que recebam a segunda melhor classificação ("desempenho relevante"), os aumentos virão em 2010 e para os restantes (desde que não tenham nota negativa), terão de esperar por 2011. Portanto, a grande maioria dos trabalhadores terá que esperar quase quatro anos para poder progredir na carreira.